Mostrando postagens com marcador Resenha. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Resenha. Mostrar todas as postagens

[Resenha] O Julgamento Final - Camila Moreira

Título: O Julgamento Final
Série: O Amor Não Tem Leis
Autora: Camila Moreira
Páginas: 263
Editora: Suma de Letras
Lançamento: 2014
Nota: 5/5
Skoob
O amor não tem leis – O julgamento final, a continuação da história de amor entre Maria Clara e Alexandre Ferraz.
O destino mais uma vez afasta Maria Clara de seu grande amor. Um trágico acontecimento obriga a jovem a abandonar Alexandre Ferraz no momento em que ele mais precisa dela. Sentindo-se culpada pelo acidente que pode ter tirado a vida de Diego, irmão de Alexandre, Maria Clara não vê outra alternativa a não ser fugir e buscar consolo nos braços Derek Mayer, o ex-namorado.
Desesperado, Ferraz não consegue entender como ela teve coragem de desaparecer. Com a tragédia que atingiu o irmão, ele descobrirá que o que sente por sua menina é mais forte do que imaginava.
Em O amor não tem leis – O julgamento final, o dr. Alexandre Ferraz tem em mãos o caso mais difícil de sua vida: conquistar o amor de uma mulher determinada a não amar.
"Ele disse isso tentando usar um tom de voz bavo, mas eu sabia que estava se divertindo tanto quanto eu."

O primeiro livro termina com Clara colocando um fim no seu relacionamento com Alexandre, sem que ele entenda o motivo disso, após o acidente que deixa Diego entre a vida e a morte vemos que Clara é remetida ao seu passado e mais uma vez ela se considera responsável pela perda de uma pessoa que ela gosta muito.

Vemos Clara assumir a culpa de tudo o que aconteceu, ela nãoa credita que mereça ser feliz depois de tudo, afinal, ela teve muito sofrimento em sua vida, e também - acredita - que causou muito sofrimento à outras pessoas, isso e o fato de ser cabeça-dura faz com que mesmo querendo se reaproximar ela e Alexandre fiquem cada vez mais distantes um do outro.

Diferente de Clara, Alexandre se recusa a tentar se reaproximar de seu amor por ainda guardar rancor e ter sido abandonado em um momento que precisava do apoio dela. Mas uma coisa é nítida a todo momento, os dois personagens se amam e estão sofrendo bastante pelo que aconteceu

Entre muitas idas e vindas não sabemos ao certo qual é o mais marcante desse casal, se é o seu amor ou a teimosia de ambos que quase faz com que eles percam tudo. A palavra que define esse livro é sofrimento, afinal, mesmo acontecendo coisas boas vemos Clara e Alexandre sofrendo bastante.

Vemos ainda no trabalho da autora como é importante sabermos superar as coisas que acontecem, que muitas vezes alguns sentimentos serão responsáveis por não deixar que você seja feliz em sua vida, que o tempo e o amor são de extrema importância para curar as feridas, como é preciso muitas vezes deixar de lado o orgulho ou a mágia e aprender a ouvir o outro ponto da história, que por mais que as suas experiências de vida tenham te ajudado a tornar a pessoa que você é hoje, é importante saber deixar o passado no passado, guardar suas lembranças com carinho, mas não permitir que ele interfira em sua vida a ponto de prejudicar o seu futuro.


[Resenha] A Cidade Sinistra dos Corvos - Lemony Snicket

Título: A Cidade Sinistra dos Corvos
Série: Desventuras em Série
Autor: Lemony Snicket
Páginas: 232
Editora: Companhia das Letras
Lançamento: 2003
Nota: 3/5
Skoob
Os irmãos Baudelaire não conseguem acreditar no que lêem na primeira página do jornal.
Uma reportagem informa que o pérfido conde Olaf raptou não apenas os irmãos Duncan e Isadora Quagmire, mas também Esmé Squalor. O texto não poderia ser mais enganoso - Esmé tinha sido tutora das crianças recentemente, e os Baudelaire sabem muito bem que ela e o conde Olaf são aliados num plano maligno para se apropriar da fortuna das três crianças.
Violet, catorze anos, é a mais velha dos irmãos Baudelaire, os órfãos mais desafortunados do mundo. Klaus, o irmão do meio, tem treze anos e já leu mais livros do que qualquer criança de sua idade. Sunny, a mais nova, é um bebê pouco maior do que uma melancia.
Assim como os irmãos Duncan e Isadora, as crianças Baudelaire perderam os pais num incêndio, e a amizade com os Quagmire era praticamente o único acontecimento feliz que havia acontecido nas suas vidas desde que ficaram órfãos.
"Por um momento, com todo aquele ar passando por eles velozmente, os órfãos Baudelaire sentiram-se como se também eles pudessem alçar voo pelo ar, para longe do conde Olaf e de todos os seus problemas, e juntar-se ao círculo de corvos no céu do anoitecer."

Vemos nesse livro que os órfãos Baudelaire finalmente parecem estar livres do conde Olaf, mas não se engane, ele pode não aparecer a todo momento, mas um de seus cúmplices está ali desde quando as crianças chegam a C.S.C - a cidade denominada Cuidadores Solitários de Corvídeos - a nova tutora dos órfãos, porque vemos desde o início que eles acreditam que é preciso uma cidade inteira para educar uma criança.

Mas aos poucos vemos que os moradores da cidade estão pouco se importando com as crianças, eles não querem ser responsáveis por elas, e a todo momento os órfãos ficam aos cuidados de Hector - o faz tudo da cidade e a única pessoa que parece de fato se interessar pelo bem estar das crianças -, enquanto os outros moradores da cidade só se preocuam em passar várias tarefas absurdas que esperam que as crianças cumpram.

Além de tudo isso a cidade de C.S.C. é repleta de regras absurdas, e parece que os próprios moradores não conhecem todas, só aquelas que lhes interessam, por isso muitas vezes eles mesmos acabam quebrando alguma, mas ninguém parece conhecer a fundo todas a ponto de se lembrarem.

Mas uma vez vemos que a pessoa responsável pelas crianças não é de muita ajuda, afinal, Hector se sente intimidado pelo Conselho dos Anciãos e não consegue falar nada na presença dessas pessoas, mesmo em momentos que sejam extremamente necessário.

O ponto positivo desse livro é que finalmente os irmãos conseguem libertar ser amigos so trigêmeos Quagmire, mesmo que eles fiquem pouco tempo com os amigos já que algumas coisas acontecem e os impedem de sairem da cidade juntos.


[Resenha] Dreamville - Laura Melo

Título: Dreamville
Autora: Laura Melo
Páginas: 236
Editora: Fragmentos
Lançamento: 2017
Nota: 5/5
Skoob

Anny Blackmoon é uma garota sonhadora de mechas azuis nos cabelos, que ama fotografia e nerdices, mora num pequeno apartamento no edifício Plinceton, tem uma coelha de estimação e trabalha na biblioteca da Cidade Central de Dreamville.
Desde pequena Anny sonha em conhecer o mundo e se aventurar por lugares fantásticos.
Enxerga tudo da maneira mais inspiradora possível e consegue sempre encontrar magia em cada detalhe, desde as fumacinhas das chaminés dos vizinhos até o sininho da porta do café onde sempre toma seu chocolate quente com marshmallow.
Porém, num dia aparentemente comum, ela descobre que vive dentro de um livro, que sua vida inteira foi e está sendo escrita por algum autor (ou autora) doido qualquer e que ela é justamente isso: um personagem fictício.
Ela então precisa, junto com outras personagens bem diferentes dela, o que inclui um caçador de zumbis, um pirata charmoso, uma feiticeira que ama cozinhar e um goblin (ou melhor: um glow, jamais o chame de goblin) viciado em beterrabas, concluir uma missão importantíssima para enfim libertar sua história e poder trilhá-la da maneira que sempre sonhou, alcançando novas perspectivas antes nunca imaginadas.

"É muito triste e talvez até uma ironia do destino, uma pessoa tão desbravadora e mexedora oficial de coisas antigas ter rinite, não é mesmo?"

Logo no início do livro somos apresentados à Anny, uma garotinha que adora mexer em tudo, mas o sótão é especial para ela, afinal, é ali que ela guarda tudo o que encontra e as coisas que são preciosas para ela são guardada em um baú, seus pequenos tesouros, mas ela acredita que sempre tem algo novo ali a ser descoberto por ela, é dessa forma que a protagonista encontra em baixo de um velho sofá uma chave linda com um formato bastante diferente e que ela acredita ser extremamente mágico, guardando a chave em uma corrente no seu pescoço, mesmo usando sempre em um momento ela para de procurar o que essa chave poderia abrir.

Depois temos uma passagem rápida no tempo e vemos Anny agora com 20 anos, morando sozinha em um apartamento, na verdade não completamente sozinha, ela mora com sua coelha de estimação, sua vida não tem nada de especial como as aventuras que ela sempre lê.

Anny trabalha em uma biblioteca, às vezes faz um bico como babá - afinal um dinheiro extra sempre vai bem - vê pouco seus pais, não tem muitos amigos e ama ficar em casa assistindo filmes e séries, lendo livros e comendo, vamos concordar que muitos leitores provavelmente se identificaram bastante com essa parte.

Depois de estar totalmente acostumada com uma rotina é normal pensar que ela não vai mudar, e muito menos da forma como a de Anny mudou. Era um domingo como qualquer outro, ao menos assim pensava a garota, até que um convite para a inauguração de um café apareceu em baixo de sua porta, como não tinha planos apra fazer nada Anny decidiu que iria, mas algumas horas antes do evento recebeu uma ligação de sua chefe pedindo que ela recebesse um pacote com livros que eram extremamente importantes para a biblioteca, Anny foi à biblioteca e acabou dormindo, perdendo a chegada dos entregadores.

Já havia feito o que sua chefe tinha pedido - receber o pacote - quando ouviu um barulho vindo da estante 25A, Anny foi ver o que era aquilo, quando chegou ao corredor viu livros voando e um portal se abrindo diante de seus olhos, mal sabia ela que ali começaria a sua própria aventura.

Vemos então um mundo completamente diferente, que foge de tudo o que Anny conhecia, mas no fundo é tudo aquilo que ela esperava para viver uma aventura, mesmo que no início ela tenha ficado confusa, primeiro ouviu quatro vozes - daqueles que viriam se tornar seus amigos e companheiros de viagem - e depois magicamente ela estava em cima do telhado - pois é, ela também não sabe como isso aconteceu - e é nessa chaminé que ela fica conhecendo Bruce, Will, Genevra e Tiphy, com a chegada da quinta integrante finalmente o grupo está completo para começar a sua aventura.

Eles foram escolhisdos para uma missão onde outros grupos já fracassaram, eles precisam encontrar o baú de histórias e libertar os diários dos personagens para que assim cada um possa ser 'dono' de sua própria história, e não mais só um personagem que tem a sua vida controlada por um autor - ou autora - maluco.

Vemos que a cada lugar que passam eles encontram os mais diferentes tipos de personagens, ursos que usam chapéus, frutas que cantam, dinossauros, sombras que parecem sem esperança, pedras que reclamam e muitas outras coisas - dessas que só parecem fazer sentido na cabeça dos autores mesmo - assim como os personagens, as cidades por onde passam tem as suas próprias culturas, mas todos estão dispostos a ajudar os aventureiros que chegaram mais longe nessa missão.

De uma forma geral, vamos admitir, não tem como não deixar se envolver pela história e as páginas interativas não tem nem o que falar, é impossível não se encantar por elas. Mas vamos combinar, depois desse livro é impossível não querer que a nossa vida tambés esteja sendo escrita, também queremos a nossa próproa aventura como a da Anny.



[Resenha] O Elevador Ersatz - Lemony Snicket

Título: O Elevador Ersatz
Série: Desventuras em Série
Autor: Lemony Snicket
Páginas: 232
Editora: Companhia das Letras
Lançamento: 2003
Nota: 3/5
Skoob
Como nos episódios anteriores, o sexto livro de Desventuras em Série está repleto de desgraças, desespero e mal-estar.
Quando essa nova desilusão começa, os irmãos Baudelaire estão acompanhados do Sr. Poe, um executivo de banco que ficara encarregado das crianças depois da morte dos pais deles num horrível incêndio.
Eles vão até a residência da família Squalor, os novos tutores do Baudelaire. O Sr. Poe acredita que ali Violet, Klaus e Sunny estarão a salvo do ganancioso e traiçoeiro Conde Olaf.
A última maldade cometida por Olaf foi raptar os trigêmeos Quagmire, de quem os Baudelaire haviam ficado amigos no colégio interno.
Na nova casa, os irmãos parecem bem instalados, mas uma nova aparição do Conde Olaf vem trazer mais pavor aos Baudelaire. Eles agora têm de descobrir um jeito de se livrar dessa pérfida ameaça.
A resposta pode estar no elevador ersatz, uma escura e assustadora passagem secreta.
"Se você pegasse um saco plástico e o colocasse dentro de uma grande tigela, e depois, usnado uma colher de pau, mexesse bem mexido o saco dentro da tigela, poderia usar a expressão 'saco remexido' para descrever o que teria diante de você, mas não estaria usando a expressão do mesmo modo como estou prestes a usá-la agora."

Como todos os livros anteriores, não se pode alimentar esperanças de que algo bom vai acontecer com os jovens Baudelaire, pois isso mostraria como você vem lendo esses livros sem prestar a mínima atenção, afinal, o Conde Olaf mais uma vez está ali, disposto a inventar um novo plano para colocar as mãos na fortuna dos três irmãos.

Os adultos continuam sendo bastante inúteis para isso, nesse livro através de Jerome que tem preguiça de discutir qualquer coisa com as outras pessoas e por isso aceita tudo o que sua mulher Esme fala.

Enquanto Esme como tutora pouco se importava com as crianças, aparentava não gostar de estar na presença deles assim, como não tinha o menor interesse em lhes dar coisas que os agradariam, simplesmente queria estar na moda e saber o que estavam in ou out, o que por sua vez foi bem chato de se ler.

Vemos uma participação bem pequena do Sr. Poe, que depois de ser promovido em seu emprego, não temmuito tempo nem mesmo para dar atenção ou conhecer os novos tutores dos Baudelaire, deixando os garotos com uma simples informação de em qual andar era o apartamento em que iriam viver assim como a informação de que poderiam ligar para o banco de precisassem de algo, mas sabemos muito bem que essas coisas não funcionam, não nessa história pelo menos.

Dessa vez as crianças de fato só reconheceram o Conde Olaf, em nenhum momento eles suspeitaram dos outros atores presentes à sua volta.

Vemos também como estar morando em um bairro próximo à onde viviam com os pais muitas vezes acabou mexendo com as crianças.


[Resenha] Desvendando Princesas - Vanessa Marques

Título: Desvendando Princesas
Autora: Vanessa Marques
Páginas: 365
Editora: Planeta Literário
Lançamento: 2015
Nota: 4/5
Skoob
São Vicente está em festa!
Finalmente, o príncipe Nicolas Volkovich irá se casar com uma plebéia! A família Haddad está em êxtase porque, em breve, sua primogênita se tornará uma princesa!
Seria um conto de fadas perfeito, se no meio dele não existisse um porém… Luciana, a futura princesa, desapareceu e somente sua irmã poderá ajudá-la.
Isabella Haddad saiu de São Vicente após um momento trágico e prometeu jamais retornar. Seguiu sua vida e teve sua chance de recomeçar. Até que um simples telefonema na madrugada diz exatamente o que ela menos queria: era a hora de voltar para casa!
Será que Isabella conseguirá desvendar o mistério do desaparecimento da princesa e resistir a tudo aquilo que deixou para trás? Até que ponto o perdão pode apagar as mágoas do passado?
"Sua expressão expôs claramente o quanto minha pergunta havia a deixado desconfortável e pouco me importava com isso."

Confesso que no início o livro demorou um pouco para me prender, mas assim que as coisas começaram de fato a acontecer, que passamos a ver mais a fundo tudo o que estava acontecendo dentro do castelo não foi difícil se ver envolvido querendo saber tudo o que iria acontecer.

O livro começa com Isabella rescebendo uma ligação muito estranha de sua irmã Luciana, ao descobrir que ela foi sequestradas, nem mesmo a sua vontade de se manter longe do seu passado a para, e vemos que o destino leva Isabella de volta a sua cidade natal, São Vicente.

As pessoas estão sendo mantidas com poucas informações, e ninguém de dentro do castelo parece saber o motivo de Luciana ter sido sequestrada. Isabella está atrás de pistas para entender tudo o que aconteceu e até mesmo ter uma chance de descobrir onde sua irmã está, mas nada é tão simples.

Vemos que o passado volta para assombrar a protagonista, assim como algumas revelações de coisas que aconteceram, mentiras são descobertas e é inevitável que algumas pessoas fiquem magoadas com essas revelações.

Durante a leitura é impossível não torcer para que Isabella seja feliz, vemos que muita coisa aconteceu na vida dela, mas se a protagonista deixar o seu orgulho um pouco de lado, ela vai ser que tem muias pessoas que a amam e quem sabe assim ela mesma consiga ser feliz.

Confesso que nunca tinha lido nada da autoa e eu realmente gostei da forma como ela abordou tudo, como conseguiu dar importância para a participação de todos os personagens, e mesmo com um numero grande de participações, ela não se desviou da persoangem principal, em vários momentos vimos que ela conseguiu fazer com que a história envolvesse a protagonista sem ficar algo chato.


[Resenha] Roubada - Lesley Pearse

Título: Roubada
Autora: Lesley Pearse
Páginas: 384
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 2012
Nota: 4/5
Skoob
Ao se aproximar, David percebeu, para seu horror, que era uma mulher. Suas pernas desnudas ainda estavam dentro da água e, quando as ondas chegavam, levantavam a saia do vestido e faziam com que se agitassem.
A cabeça não ficou visível até que ele se aproximasse, e David percebeu que ela era jovem, com mais de 20 anos, esguia e bela, e que seu cabelo loiro havia sido cortado de forma descuidada e brutal.
- Quem é você? - ele perguntou, abaixando-se ao seu lado nos pedriscos da praia, erguendo-a até que estivesse sentada e apoiada contra seu ombro. David tomou o pulso da mulher. Embora a pele dela estivesse fria como o gelo e muito enrugada por causa da submersão, ele conseguiu sentir uma pulsação leve.
Contrariando todas as expectativas, ela está viva, mas não faz a menor ideia de quem seja. Contudo, quando sua foto é colocada no jornal local, uma antiga companheira de trabalho no cruzeiro que fez pela América do Sul a reconhece.
Quando uma bela moça loira foi encontrada desacordada em uma praia, ela não tinha nenhuma lembrança de quem era ou dos horrores pelos quais havia passado antes de chegar ali.
A esteticista Dale não via Lotte Wainwright há tempos, mas, para seu pesar, reconheceu sua amiga na foto publicada pela imprensa local em um artigo que noticiava as misteriosas circunstâncias do aparecimento da jovem que, recentemente, havia dado à luz...

"Ela podia fazer qualquer coisa para convencê-los de que estava disposta a ir adiante com o plano de ter um bebê para eles, de que queria apenas o dinheiro e de que nunca falaria sobre o caso para ninguém, mas eles nunca voltariam a confiar nela."

Após ser encontrada em uma praia, em um estado de dar dó, vemos que Lotte deixa muita gente intrigada com o que aconteceu com a garota, afinal, ela perdeu a memória e aparentemente ela tem alguns ferimentos que indicam que algo muito sério aconteceu.

Lotte não é o tipo de pessoa que tem muitos amigos, mas quando as pessoas a conhecem um pouco mais é impossível não se apaixonar pelo jeito delicado, pretativo e meigo da garota. Não importa muito o quanto a situação esteja complicada, aparentemente Lotte sempre está disposta a colocar as necessidades dos outros antes das suas próprias.

Descobrimos que Lotte trabalhou em um navio cruzeiro com Dale e Scott, onde se tornaram grandes amigos, e são eles que a reconhecem em uma foto no jornal, o que faz com que Lotte não seja mais uma pessoa totalmente desconhecida.

Depois que o contrato deles no navio cruzeiro acabou, vemos que Lotte ficou um ano distante, incomunicável e nenhum de seus amigos teve notícias dela, mas ninguém sabia o motivo disso. Quando Dale e Scott encontram Lotte é complicado entender o que aconteceu, já que ela não se lembra deles, mas ao menos já tem alguma lembrança de outros dois amigos.

A medida que Lotte recupera sua memória, vamos descobrindo o que aconteceu, ela acaba sendo sequestrada, mas Dale acaba sendo levada junto com ela, mas ao ficar presa no cativeiro, a memória de Lotte volta toda de uma vez, não mais aos poucos, e vemos o quanto ela sofreu nesse último ano, o que leva aos leitores a pensarem que ainda bem que eles não são Lotte, porque MUITA coisa ruim aconteceram e voltam a acontecer com essa garota, mesmo que tenha alguns momentos de felicidade, mas a vida como um todo foi muito cruel com ela.

A história do livro demorou um pouco a me prender, confesso que já havia começado a leitura umas três vezes e não tinha tido vontade de continuar, mas dessa vez consegui me ver envolvida por toda a história, cenário e personagens.


[Resenha] Dark Needs - T. M. Frazier

Título: Dark Needs
Série: The Dark Light of Day
Autora: T. M. Frazier
Páginas: 90
Editora: Booktrope Publishing
Lançamento: 2015
Nota: 5/5
Skoob
'A matança por vingança é o melhor tipo de matança. Mas a vingança pela sua família, com permissão de sua mulher? Isso era infinitamente erótico.'
- Jake, The Light Dark of Day
Jake voltou para casa, para Abby depois de violentamente descartar o homem que quase destruiu sua família. Com sangue, literalmente, ainda em suas mãos, a única coisa na mente de Jake é recuperar o tempo perdido com a mulher que ele ama.
Dark Needs é uma novela amorosa paara The Light Dark e não faz muito sentido, a menos que você já esteja familiarizado com a história de Abby e Jake em The Light Dark of Day...
"Era fácil viver com uma teoria, algo que quase não era real, porque não era algo que ela tinha de lidar."

Nesse livro vemos um Jake muito diferente do apresentado no livro anterior, depois de ter se casado com Abby, ele parece ter se aposentado e está tentando levar uma vida comum, e muito mais feliz do que ele e Abby tiveram, afinal a sua pequena merece isso.

Agora que Owen não é mais uma ameaça para nenhum deles, eles podem estbeler e tentar levar a vida de uma forma mais 'normal', ou ao menos assim eles pensavam, até que Jake acaba sendo preso pelo assassinato de Owen.

Bethany, mãe de Owen, acabou se aproximando da família e conquistou o amor da pequena filha de Jake e Abby, ela está se mostrando uma avó bem dedicada para a menina, principalmente agora que se afastou de seu trabalho como promotora por estar com alguns problemas sobre o que é certo e errado.

Na cadeia vemos que ele conhece um outro cara, que diferente dele, não tem a aparência de um anjo, o outro homem parece ser o própro demônio encarnado, mas vemos que não é isso, ele só quer se apresentar, afinal, sabe que um dia pode precisar de Jake, mesmo que seja para trazê-lo de volta ao antigo negócio.


[Resenha] The Dark Light of Day - T. M. Frazier

Título: The Dark Light of Day
Série: The Dark Light of Day
Autora: T. M. Frazier
Páginas: 258
Editora: Booktrope Publishing
Lançamento: 2013
Nota: 5/5
Skoob
Abby tem vivido um inferno e sobreviveu a uma das infâncias mais brutais imagináveis... por pouco.
Para o mundo exterior, ela é apenas uma solitária com atitude.
Quando sua avó morre em uma explosão trágica, Abby fica com perguntas e nada mais.
Desabrigada, dormindo em um ferro velho, e fugindo de um sistema que tem falhado com ela uma e outra vez, ela conhece Jake, um motoqueiro de olhos azuis tatuado com segredos que rivalizam com os seus próprios.
Duas almas quebradas que não podem ser curadas. Eles não podem ser salvos.
Abby e Jake tem que decidir se eles podem aceitar a escuridão não apenas de dentro um do outro, mas dentro de si.
Se eles podem aceitar um ao outro pelo que eles realmente são, eles podem ser capazes de aprender que o amor nem sempre é encontrado na luz.
Cuidado: Este não é o seu romance típico. A história de Abby & Jake contém situações pertubadoras, violência gráfica, sexo, linguagem forte, uso de drogas, e todos os tipos de abuso.
"Eu o tinha deixado entrar em minha vida, para os meus segredos e minhas feridas, mas o pensamento de deixá-lo entrar em meu corpo ainda me deixava em pânico."

A história contada nesse livro acontece antes da história de King, mas para quem - como eu - leu King antes, é bom saber que tem um livro que conta a história desse personagem que não é muito citado nos livros anteriores. É interessante ver como esse é um daqueles livros que a gente pega sem nenhuma pretenção, mas acaba sem conseguir largar.

Jake é um bad boy problemático, e bastante mau, mas conhecemos um pouco a fundo a sua história e passamos a entender o motivo dele ser dessa forma distante e bastante sem coração.

Já a história de Abby, dá um aperto enorme no coração e ficamos um pouco tristes com o que vem acontecendo com a garota, a vida dela está longe de ser o que podemos chamar de fácil. Ela perde a avó e como ainda é menor de idade precisa se virar para fugir da assistência social, afinal, ela já sofreu bastante em lares adotivos no decorrer de sua vida. Em meio a essas fugas ela acaba conhecendo Jake, um rapaz que acaba a auxiliando a sair de toda essa confusão e a partir daí vemos uma relação começar a surgir.

Quando os dois começam a se sentender, mesmo acima de todos os segredos, vemos que eles merecem ser felizes, ams a felicidade dos dois não dura muito e termina de uma forma cruel.

Abby é diferente da mocinha conhecida, ela é forte, é uma sobrevivente de todas essas confusões, ela não vai ficar cheia de frescuras.


[Resenha] Inferno no Colégio Interno - Lemony Snicket

Título: Inferno no Colégio Interno
Série: Desventuras em Série
Autor: Lemony Snicket
Páginas: 200
Editora: Companhia das Letras
Lançamento: 2002
Nota: 3/5
Skoob
Nada de aventuras emocionantes com final feliz: Violet, Klaus e Sunny Baudelaire são legais e inteligentes, mas a vida deles está repleta de má sorte e infelicidade.
Neste livro, os órfãos mais azarados do mundo enfrentam caranguejos que mordem, exames hiper-rigorosos e os castigos duríssimos de um internato. O colégio se transformou em mais um desastroso episódio de suas vidas horríveis.
Desta vez, eles precisam escapar de fungos gotejantes, assistir a recitais de violinos, domar o sistema métrico e sobreviver a exercícios de D.O.R. Violet, Klaus e Sunny têm o poder de atrair desgraças.
Quem gosta de histórias alegres não deve nem abrir este livro, avisa o autor, pois as histórias de dos Baudelaire são sempre uma desventura pior do que a outra.
"A expressão 'seguir o exemplo' não significa necessariamente seguir um bom exemplo, embora muitas pessoas não saibam disso."

Desde o início desse novo livro já é possível eprceber que a estadia dos irmãos Baudelaira no novo colégio não vai ser muito diferente das experiências com os tutores anteriores, ao menos não no quesito de terem dias mais felizes, já que a escola parece seguir algumas regras que podem surpreender os três irmãos.

Mas temos que concordar que isso não é uma surpresa muito grande, infelizmente já nos acostumamos a ver as coisas darem errado para os irmãos Baudelaire, e isso não parece que vai ser resolvido, não enquanto os adultos parecem não acreditar neles e teimam em deixar o Conde Olaf livre, afinal, ele é a pessoa com maior interesse em prejudicar as crianças.

Como já foi visto nos outros livros da série, os adultos apresentam uma grande limitação em acreditar nas crianças, por mais que os irmãos Baudelaire sejam inteligentes, eles são tratados como se fossem os mais tolos.

Nesse livro ainda temos o vice-diretor Nero, um personagem que é extremamente cansativo e faz com que leitura desse livro fique exaustiva. Mas como complemente da série, é extremamente importante a leitura desse exemplar, já que alguns acontecimentos citados aqui parecem que serçao importntes para as próximas histórias.


[Resenha] Preppy - Parte 3 - T. M. Frazier

Título: Preppy - Parte 3
Série: King
Autora: T. M. Frazier
Páginas: 300
Editora: Kindle Edition
Lançamento: 2017
Nota: 5/5
Skoob
A gravata-borboleta está de volta!
Dre era apenas uma bela estranha quando Preppy a salvou pela primeira vez. Agora, ele tem que salvá-la novamente, mas ela não é mais uma estranha, ela é família, e ele não tem ideia de quem ou o que ele enfrenta.
O que ele sabe é que juntar a família é o único resultado aceitável.
A lista de tarefas para fazer?
SALVAR FAMÍLIA. PROCURAR VINGANÇA.
Ele está vivo... e ele quer SANGUE.
Preppy Parte III é o terceiro livro e a conclusão da história de Preppy e Dre. É também o 7º livro da Série King, que para começar deve ser lido KING & TYRANT.
"Tudo o que tinha escrito era para me encontrar na torre d’água e ela provavelmente estava se perguntando por que diabos eu pedi a ela para me encontrar aqui, mas eu não tinha dúvida de que ela viria."

Sejamos sinceros, não tem como não amar o Preppy não é mesmo?! Quem não ficou triste com o destino trágico que pensamos que o cara das gravatas borboleta havia ganhado no primeiro livro? Ficamos imaginando várias vezes histórias apra ele, sem de fato queremos acreditar naquilo, ainda bem, afinal Samuel estava aí, pronto para voltar para a vida de todos.

No início já ficamos surpreendidos com o desenrrolar da história, pela primeira vez algo que acontece com os meninos de Logan's Beach parece fácil demais, é a primeira vez que alguém com desejo de vingança por eles é tão ruim de serviço.

Vemos como Preppy é louco por Dre e vice e versa, mas ao mesmo tempo eles querem fazer a coisa certa, assim como Preppy acaba contando toda sua história para o pai de Dre, mas diferente do que um pai 'normal' fara, ele não julga o garoto, sabe que ele é pouco convencional, mas é o responsável por fazer a sua filha feliz.

Vemos como Preppy, mesmo com aquele jeito de criança não é exatamente um entendedor, principalmente quando é com o filho dos outros, vemos a participação frequente de Ray, Bear e ing nesse livro, mas Thia pe algupem que aparece muito pouco, mas em momentos que se mostram importantes.

Mas a maior surpresa desse livro é Bo, não só por ele começar a falar, mas por suas ações, ele está longe de ser uma criança normal - e dessa vez nem é culpa de seus pais adotivos - mas ele tem um lado sombrio nele, não que isso seja ruim, afinal, vemos que isso se torna algo útil no livro.

O livro segue a linha dos anteriores, é uma história incrível que vale a pena conhecer mais a fundo, e quando vocêe vai entendendo tudo pelo que os personagens passaram, é impossível não se apaixonar por eles.


[Resenha] Convergente - Veronica Roth

Título: Convergente
Série: Divergente
Autora: Veronica Roth
Páginas: 528
Editora: Rocco Jovens Leitores
Lançamento: 2013
Nota: 4/5
Skoob
A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou – destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição.
Em Convergente, o poderoso desfecho da trilogia de Veronica Roth iniciada com Divergente e Insurgente, a jovem será posta diante de novos desafios e mais uma vez obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor.
O livro, que chega ao Brasil no momento em que Divergente estreia nos cinemas, alcançou o primeiro lugar na lista de bestsellers do The New York Times.
"É estranho como uma palavra, uma expressão, uma frase, podem parecer um golpe na cabeça."

Assim como o livro anterior, esse também começa cheio de ação, mas não estamos mais envolvidos só no mundo que é dividido entre as facções, estamos vendo o que acontece dentro e fora da cidade.

Após a mensagem de Edith Prior, vemos o sistema de facções ruir, enquanto Tris e seus amigos descobrem que existe algo mais, fora dos muros de Chicago. Vemos uma grande confusão com a população, alguns aceitam bem o novo governo, enquanto outros ficam divididos entre retomarem o sistema de facções. Mas para alguns que descobriram o que existe além dos muros, parece simplesmente impossível retomar a vida de antes, quando eles viviam na ignorância sobre o que há além dos muros.

Tris e outras pessoas conseguem sair da cidade e descobrem o que está por trás disso, vemos que suas descobertas nos fazer questionar tudo o que sabíamos até o momento, assim como os personagens, percebemos que existe algo muito mais complexo por trás, que a história é muito mais surpreendente do que imaginávamos.

De uma forma geral, o livro é bom, mas a autora deora um pouco para fazer com que a história fique interessante, e no início não temos muito além da constante impressão de enrolação. Talvez seja o livro mais fraco de toda a trilogia.


[Resenha] Insurgente - Veronica Roth

Título: Insurgente
Série: Divergente
Autora: Veronica Roth
Páginas: 512
Editora: Rocco Jovens Leitores
Lançamento: 2013
Nota: 5/5
Skoob
Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando.
E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas.
Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor.
"Porque, dentro de mim, há uma fera que rosna, ruge e luta por liberdade, por Tobias e, acima de tudo, pela vida. Por mais que eu tente, não consigo matar essa fera."

Nesse livro vemos a continuação de tudo o que aconteceu em Divergente, de como as atitudes tomadas pelos membros da Erudição fizeram com que tudo se tornasse um grande caos. Vemos nesse livro muitas respostas para questões que haviam ficado em aberto do final do livro anterior, assim como o motivo que levaram a criação desse sistema de facções.

É possível perceber como os persoangens estão cheios de conflitos com muitas coisas que stão acontecendo ali, Tris por sua vez não consegue se abrir com niguém, se sente culpada, mas prefere carregar a culpa e responsabilidade sozinha, mas seus conflitos internos são muito mais complicados do que a própria garota acha.

Por sua vez temos Tobias, ou Quatro, e outros personagens que foram marcantes já no livro anterior como Christina, podemos ver como todos eles amadureceram de forma inesperada nesse livro, mesmo que essas muitas vezes não sejam decisões fáceis, mas ainda sim no momento de necessidade vemos como muitas vezes eles vão ter que aprender a lhe dar com coisas ou atitudes que tiveram que tomar em algum determinado momento de todo esse conflito, no fundo esperando que possam amaducer juntos.

Esse é um daqueles livros que te faz questionar muita coisa pela qual já passou sem de fato perceber a importância ou o impacto que algumas escolhas teriam no decorrer da sua vida.

A autora consegue manter a história interessante o que faz com que não seja cansativo ler mais de 500 páginas - uma coisa que poucas pessoas conseguem - assim como as coisas acontecem em momento exatos, mesmo que nesse livro não tenha muita coisa entre Tris e Quatro, afinal o foco dele não é bem o ramance, mas a autora procurou deixar alguns momentos fofos entre os dois para que o leitor pudesse perceber que mesmo na correria em meio ao caos, os dois persoangens ainda possuem sentimentos bem fortes um pelo outro.



[Resenha] All the Rage - T. M. Frazier

Título: All the Rage
Série: King
Autora: T. M. Frazier
Páginas: 304
Editora: Kindle Edition
Lançamento: 2016
Nota: 4/5
Skoob
Eles me chamam de Rage.
Meu nome real é como uma sombra, sempre perto, mas nunca capaz de alcançá-lo.
Eu voo sob o radar porque ninguém suspeita que eu seja capaz do tipo de violência brutal que eu me comprometo todo dia.
Você vê, eu sou uma menina. Eu tenho dezenove anos.
E eu sou uma assassina.
Esta vida é tudo o que sei. É tudo que eu quero saber. Ela mantém as merdas enterradas que eu preciso manter enterradas. Ela me permite viver sem pensar muito.
Sem reviver o passado.
Até ele.
Tudo muda quando um garoto comum se torna o meu próximo alvo.
E o meu primeiro amor.
Eu tenho que escolher.
A única vida que eu já conheci tem que morrer, ou ele.
De qualquer forma, eu vou ser a única puxar o gatilho...
"Porque na minha história, se você ama alguém o suficiente, você deve primeiro soltar a arma."

Depois de ler os livros da série, é impossível não se ver envolvida e queendo saber mais sobre essa personagem um tanto curiosa que deixa até mesmo os mais bravos homens com um pé atrás.

Afinal, que poderia imaginar que uma menina com aparência inofensiva e que sempre está vetida com rosa, poderia ser uma pequena incendiária e psicopata? Desde pequena Rage era diferente das outras pessoas, e era comum para ela os passeios à vários psiquiatras que sempe falavam a mesma coisa, que ela não sentia nada, não tinha empatia pelas pessoas. Mas Rage senti algo uma grande vontade de matar, e isso ela só compartilhou com Cody, seu melhor e único amigo, eles então decidem fazer uma lista de coisas para Rage, para que ela possa tentar ser mais 'normal', mas não é possível mudarmos quem somos, não totalmente e essa lista não dá muito certo.

Rage então resolve fugir com Smoke, um motoqueiro que ela conheceu e foi a pessoa que lhe ensinou a atirar, que entendeu que ela era diferente das oitras pessoas. Smoke passa a ser o mentor de Rage nos próximos três anos e também um de seus clientes quando precisava que algo fosse feito.

Em um dos trabalhos a serem feitos para Smoke, Rage acaba conhecendo Nolan, para ela, ele é apenas mais um alvo, ou ao menos assim ela pensava até que as coisas mudaram bastante. Rage começa a sentir coisas que ela nunca havia sentido antes, vemos que os dois guardam segredos e quando eles vêem a tona, as coisas tendem a mudar bastante e o inferno vai ser pequeno para tudo o que vai acontecer.

O livro é ótimo, assim como todos os outros da série, mas por ser uma personagem que me intrigava bastante, achei que o livro deixou um pouco a desejar... Não que a história seja ruim, pelo contrário, ela é ótima, só podia ter sido melhor explorada.


[Resenha] A Esperança - Suzanne Collins

Título: A Esperança
Série: Jogos Vorazes
Autora: Suzanne Collins
Páginas: 424
Editora: Rocco Jovens Leitores
Lançamento: 2011
Nota: 3/5
Skoob
O volume final da trilogia 'Jogos Vorazes', de Suzanne Collins, é exatamente o livro pelo qual os fãs esperavam: complexo, imaginativo e, ao mesmo tempo, brutal e humano.
Depois de sobreviver aos jogos por duas vezes, Katniss Everdeen tentará se encontrar no papel de símbolo de uma revolução, enquanto luta para proteger sua mãe e sua irmã no meio de uma guerra.
A série, com mais de quatro milhões de exemplares vendidos apenas nos Estados Unidos, é o mais novo fenômeno da literatura jovem dos últimos tempos, e mistura ficção científica com reality show, passando pela mitologia e pela filosofia com muita ação e aventura.
Katniss conseguiu sair da arena pela segunda vez, mas, mesmo assim, ainda não está a salvo. A Capital está irritada e quer vingança e, por isso, inicia uma represália a toda a população.
Numa trama tão violenta quanto psicológica, Suzanne Collins consegue provocar, em A Esperança, um debate sobre a moral e os valores da guerra e as consequências das escolhas feitas por cada um dos personagens.
Ser o símbolo da revolução tem um preço alto para Katniss, que terá que decidir o quanto da sua própria humanidade e sanidade ela poderá arriscar em nome da causa, dos seus amigos e da sua família.
É pela voz da protagonista, ainda mais feroz e obstinada, que a autora desafia o leitor a refletir em meio a cenas cruéis de combate. Tudo isso numa narrativa brilhante, com viradas surpreendentes que levam a um desfecho chocante e original.
Ambientado num futuro sombrio, a saga 'Jogos Vorazes' é pioneira de uma tendência que ganhou força no mercado de bestsellers juvenis: a dos romances distópicos e pós-apocalípticos.
As obras renderam à autora Suzanne Collins lugar na badalada lista de 100 personalidades mais influentes do ano da revista Time em 2010. Com narrativa ágil e ousada, os livros da trilogia foram traduzidos para 44 países e vêm atraindo leitores de diversas faixas etárias.
"Eu não sinto mais qualquer fidelidade a estes monstros chamados seres humanos."

Talvez esse seja o mais cansativo dos três livros, mas isso não quer dizer que ele é ruim, só se torna um tanto chato no decorrer das páginas, Katniss se mostra muito repetitiva nesse livro ao lhe dar com seus próprios conflitos.

Vemos o momento em que todos os personagens precisam começar a assumir as consequência de suas escolhas, e que Katniss precisa ver que depois de tudo o que passaram, sua irmã não é mais aquela garotinha boba que foi sorteada para os Jogos Vorazes e que não sabia o que fazer e morreria no primeiro momento na arena se a irmã mais velha não tivesse assumido seu lugar.

Katniss ainda está um pouco confusa com o que aconteceu no final dos Jogos anteriores, ou melhor, com o que aconteceu no meio dos jogos, já que muitos ainda estavam vivos no moemnto em que eles terminaram com as coisas e mais uma vez enfureceram a Capital e o presidente Snow.

Diferente do que acontece na maioria dos livros, vemos que Katniss não é aquela protagonista perfeita que independente do que aconteça nada a afeta e ela está sorrindo, muito pelo contrário, vemos seus pontos fortes e fracos e mesmo em momentos de dúvida ela não foge das responsabilidades, mas ainda sim muitos momentos fazem com que tenha uma leitura cansativa pela repetição da ladainha. Ela está tão confusa com tudo o que está acontecendo que não tem sanidade para definir o que vai acontecer com o seu dilema amoroso e não consegue escolher entre Gale e Peeta.

Temos um novo grupo, disposto a usar a imagem de Katniss para ser alguém que irá inspirar as pessoas, que por vezes saem com o intuito de fazer uma 'propaganda' para a rebelião, mas esquecem que o ambiente que eles estão procurando está mais para uma guerra.

Temos algumas mortes que são extremamente bobas e as pessoas poderiam ter se salvado por pequenas coisa, vemos que mesmo com intenções que parecem ser boas, temos muitos personagens que não medem esforços para conseguirem o que querem, e ao emsmo tempo, vemos mortes bobas para persoangens bastante espertos que não deveriam ter terminado daquela forma.

De uma forma geral o livro é bom, é importante para ver um final depois de tudo o que aconteceu, não é o melhor da série, mas é importante para terminar a trilogia.


[Resenha] Divergente - Veronica Roth

Título: Divergente
Série: Divergente
Autora: Veronica Roth
Páginas: 504
Editora: Rocco Jovens Leitores
Lançamento: 2012
Nota: 4/5
Skoob
Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível.
Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.
"Acredito nos atos simples de bravura, na coragem que leva uma pessoa a se levantar em defesa de outra."

Nesse livro, vemos um mundo muito diferente do que conhecemos, a história se passa em uma Chicago futurista onde a sociedade está dividida em cinco facções: Abnegação, Erudição, Audácia, Franqueza e Amizade.

Os membros da Abnegação consiste em um grupo de pessoas que não pensam em si mesmas de modo algum, pensam no bem-estar do próximo, por esse motivo eles acabam sendo os líderes do governo responsável por essa sociedade.

Na Erudição se encontram as pessoas que estão sempre em busca de mais conhecimento, aqueles que são sedentos pelo saber, é onde são criadas as tecnologias utilizadas pela sociedade assim como todos os seus avanços tecnológicos.

A Audácia é formada pelos membros que estão em busca de aventura, eles são os corajosos da sociedade, admirados por muitos, são os responsáveis por proteger a cidade, assim como muitas vezes agem como guardas a fim de amenizar conflitos.

Os que escolhem a Franqueza como sua facção prezam a verdade acima de tudo, falam sem pensar muito no que a outra pessoa vai sentir ao ouvir aquilo, por esse motivo eles são os juízes dessa sociedade.

Quem vive na Amizade, é responsável por manter a cidade com suas produções, eles são os agricultores e raramente possuem problemas com as pessoas de outras facções.

Fora desses grupos temos ainda dois outros grupos que são compostos pelos Divergentes e os Sem-Facção.

Os Divergentes são vistos como um perigo para a sociedade, são os membros que possuem aptidão apra mais de uma facção. Normalmente quando um divergente é descoberto ele é eliminado, antes que possa fazer algo que possa ameaçar esse delicado equilíbrio.

Os Sem-Facção são aqueles que não conseguiuram passar em todas as etapas para pertencerem à sua nova facção, e não podem voltar para a antiga mais, eles vivem na miséria em meio as ruas, muitas vezes dependendo da bondade dos membros da Abnegação.

Com 16 anos de idade, vemos os membros dessa sociedade terem a chance de escolher o seu destino, ao decidir em que facção irão viver para o resto de suas vidas, se é naquela em que nasceram, ou na que gostaria de pertencer?

Vemos uma luta grande na vida de Beatrice Prior, que está tentando se manter na lista da Audácia a fim de não virar uma Sem-Facção enquanto temos um membro importante de uma outra facção conspirando contra a fim de derrubar o governo que vive na Abnegação.


[Resenha] Preppy - Parte 2 - T. M. Frazier

Título: Preppy - Parte 2
Série: King
Autora: T. M. Frazier
Páginas: 287
Editora: Kindle Edition
Lançamento: 2017
Nota: 5/5
Skoob
Preppy se encontra de volta em um mundo que ele amou uma vez, mas não reconhece mais. Seu sorriso fraco não pode esconder sua agitação interior e as pessoas que ele vê como família de repente parecem estranhos.
Exceto uma pessoa. Uma menina com olhos escuros e cabelo ainda mais escuro.
Uma garota que nem é sequer uma opção.
Pelo menos, não mais.
Dre não pode decidir quem ela vai ouvir. Seu coração, sua cabeça, ou seu corpo. Porque duas dessas três coisas a levam de volta para a Logan’s Beach. Encerramento é o que ela diz a si mesma que ela está procurando, mas quando ela abre as portas que nunca foram destinadas a serem abertas, ela logo descobre que, quando se trata de Samuel Clearwater, encerramento NUNCA pode ser uma opção.
"Literalmente, a única pessoa viva no planeta que sabe como empurrar cada botão que eu tenho apenas por existir."

Esse livro é a continuação do anterior, onde vemos a história de Preppy e um pouco da sua vida depois que ele 'voltou' do mortoss, mas diferente dos livros anteriores, esse ains não termina com o final feliz de Preppy e Dre, ou melhor, o final feliz deles até começou, mas alguma coisa acontece - e o meu palpite vai para um personagem que deveria ter sido morto no livro anterior.


Nesse livro vemos um Preppy com muitos problemas para superar o que aconteceu, nesse de fato é que acontece a história deles em 'tempo real' como o dos outros que tratavam, enquanto o livro anterior de Preppy serviu mais para conhecermos seu passado e entendermos como ele e Dre se conheceram, já que a história deles precisava de uma introdução mais complicada que a de King/Ray ou até mesmo Bear/Thia.

Diferente do que muita gente esperava, não é abordado a fundo o que aconteceu quando ele foi matido em cativeiro por Chop, mas é um ponto compreensível, o personagem sofreu, e não quer reviver aqui tendo que contar para os outros, vamoc combinar que o pouco que já deu pra perceber, ninguém ia querer ficar tocando no assunto mesmo.

Vemos um pouco o antigo Preppy voltando, mesmo que ele não esteja ali completamente - ainda -  mas mesmo assim parece que ele vai voltar e chegar lá, só esperamos que não demore muito.

Dre por sua vez está bem mais forte do que no livro anterior, ela conseguiu se livrar de seu vício e está sóbria a algum tempo, ainda tem as marcas disso, mas agora ela está ali para ser quem vai salvar Preppy, como ele fez com ela na primeira vez que se viram.

Acontece tanta coisa nesse livro que tem momentos que é até difícil juntar tudo, mas vale a pena. A série tem uma pegada dark forte, homens bizarros que acabam encontrando o amor - afinal, todos merecem amar e ser amados - muita coisa ruim acontece, mas encontramos um final feliz, não excessivamente, com seus altos e baixos como todos, mas razoavelmente feliz. Todos já foram machucados, mas tentam sobreviver da melhor forma possível.


[Resenha] Em Chamas - Suzanne Collins

Título: Em Chamas
Série: Jogos Vorazes
Autora: Suzanne Collins
Páginas: 416
Editora: Rocco Jovens Leitores
Lançamento: 2011
Nota: 4/5
Skoob
Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos últimos Jogos Vorazes, algo parece ter mudado para sempre em Panem.
Aqui e ali, distúrbios e agitações dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta, representantes do paupérrimo Distrito 12, não apenas venceram os Jogos, mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos - incluindo o próprio Peeta - acreditarem que são um casal apaixonado.
A confusão na cabeça de Katniss não é menor do que a das ruas. Em meio ao turbilhão, ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo, o jovem caçador Gale, mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real.
Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolescentes vitoriosos - transformados em verdadeiros ídolos nacionais - podem ter na população.
Por isso, existem planos especiais para mantê-los sob controle, mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.
"No aniversário septuagésimo quinto, como um lembrete para os rebeldes, que mesmo o mais forte entre eles não pode vencer o poder do Capitol, os tributos masculinos e femininos serão colhidos a partir de seus vencedores existentes."

Vemos nesse livro que vencer os Jogos Vorazes, diferente da maioria dos vitoriosos anteriores, isso não foi sinônimo de tranquilidade para Katniss e Peeta.

O presidente Snow não aceitou bem a idéia de que a Capital foi ridicularizada quando os dois ganharam os jogos, ele não acredita na 'propaganda' de que tudo aquilo não passou de 'um ato de amor' por parte de Peeta, as atitudes de Katniss dentro da arena estimularam as pessoas a irem contra o que a capital faz, e começou a gerar uma rebelião.

Como forma de tentar controlar o que está acontecendo, algumas regras são mudadas, e os novos competidores do Massacre Quaternário - uma edição especial dos Jogos Vorazes com regras piores - serão escolhidos entre os vitoriosos anteriores, para muitos existem chances de não serem os novos escolhidos, mas para Katniss, ela sabe que é a nova competidora, afinal, é a única vitoriosa do sexo feminino de seu distrito.

Agora é mais complicado, é preciso ter aliados, mas também tomar cuidado ao escolhê-los, afinal, a acompetição será feita entre 24 competidores experientes. É fácil perceber quanto Katniss e Peeta amadureceram com relação ao livro anterior e como a Capital continua a manipular os participantes.

A vitória do casal mais querido da Capital não é vista com os mesmos olhos por quem comanda, as pessoas estão procurando uma forma melhor de acabar com a ameaça da rebelião sem que todos percebam que isso signifique assassinato para todos.

Temos a chegada de novos persoangens que vão se tornar importantes para a trama a fim de ajudar os protagonistas em toda essa jornada, é impossível não se encantar com alguns deles como Finick que é cativante de uma forma engraçada que faz querer conhecer mais a fundo esse personagem.


[Resenha] Preppy - T. M. Frazier

Título: Preppy
Série: King
Autora: T. M. Frazier
Páginas: 300
Editora: Kindle Edition
Lançamento: 2016
Nota: 5/5
Skoob
Gravata-borboleta... ATÉ EU MORRER.
Samuel Clearwater, mais conhecido como Preppy, gosta de gravatas-borboleta, panquecas, suspensórios, bons amigos, diversão, boas drogas, e uma boa f*da.
Ele conseguiu dar a volta por cima de uma infância infernal e está vivendo a vida que ele sempre imaginou para si mesmo. Quando ele conhece uma garota, uma viciada a ponto de acabar com tudo, ele fica dividido entre seus sentimentos por ela e o medo paralisante de que ela poderia ser a única a acabar com a vida que ele ama.
Andrea ‘Dre’ Capuleto está fraca e cansada.
Cansada de viver para satisfazer seu próximo vício. Cansada de fazer coisas que faz seu estômago virar. Cansada de olhar no espelho para o reflexo da pessoa que ela se tornou. Mas assim que ela decide acabar com tudo, ela encontra um homem que vai mudar o curso de suas vidas para sempre.
E suas mortes.
Para a maioria das pessoas, a morte é o fim de sua história.
Para Preppy e Dre, foi apenas o começo...
"Eu estava tão no fundo do poço que eu precisava de uma nova palavra para definir a minha situação."

Quando terminamos a leitura do segundo livro, não é estranho ver que muita gente ficou em choque ao descobrir que Preppy ainda estava vivo, afinal, vimos os personagens sofrerem bastante com a sua morte, rimos com as conversas na cabeça deles e agora lá vem ele de volta.

Esse livro conta uma história que acontece antes mesmo de King, afinal, nesse livro vemos como Preppy e Dre se conhecem quando King ainda está preso. Dree é o oposto das protagonistas dos livros anteriores - Doe/Ray e Thia - ela é uma viciada, envolvida com traficantes e criminosos, vemos uma garota decidida a acabar com a própria vida, por ter sido estrupada e machucada por seus pseudo amigos.

Nesse livro vemos um Preppy diferente dos outros livros, ele se mostra um cara articulado, sexy, bonito, muito diferente daquele monstro bizarro que vemos por alto nos livros anteriores. Vemos um amor diferente surgindo entre Preppy e Dre, um relacionamento que começou de uma forma confusa, mas se mostrou extremamente intenso.

Vemos um Bear um pouco diferente, não é mais aquele cara traumatizado que a gente viu, ele está menos traumatizado.


[Resenha] Jogos Vorazes - Suzanne Collins

Título: Jogos Vorazes
Série: Jogos Vorazes
Autora: Suzanne Collins
Páginas: 400
Editora: Rocco Jovens Leitores
Lançamento: 2010
Nota: 4/5
Skoob
Este livro é o primeiro de uma bem-sucedida trilogia, comercializada para mais de 20 países.
A história se passa em uma nação chamada Panem, fundada após o fim da América do Norte.
Formada por 12 distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital, sede do governo. Uma das formas com que demonstra seu poder sobre o resto do carente país é com os 'Jogos Vorazes', uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de 12 a 18 anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte.
Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar.
Vinda do empobrecido Distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre.
Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos 'Jogos Vorazes'?
"E, em algum lugar recôndito dentro de mim, eu a odiava pela sua fraqueza, por sua negligência, pelos meses que ela nos obrigara a suportar."

Os Jogos Vorazes, evento anual é uma forma da Capital punir os distritos por um levante feito a alguns anos, a forma que eles tem de lembrar aos distritos 'quem manda'. O garoto e a garota que participam desse evento - até a morte - são escolhidos através de um sorteio, e a arena onde acontecem os jogos é comandada pela alta tecnologia da Capital. As inscrições para os jogos podem proposrcionar uma forma de sustento maior para quem se inscreve, e é comum ver que algumas pessoas já se inscreveram muitas vezes.

A protagonista do livro Katniss Everdeen é uma moradora do distrito 12 e trabalha para ajudar no sustento de sua família, principalmente após a morte de seu pai. Katniss tem 16 anos, mas é a principal resonsável por colocar comida na mesa da família Everdeen, e tudo com o que ela se preocupa é a segurança de sua irmã Prim.

No dia da colheita - dia em que são escolhidos os tributos - todos os moradores do distrito estão reunidos vendo o sorteio, Peeta Mellark é o representando masculino do sitrito, mas no sorteio o nome de Prim sai, Katniss não pensa duas vezes e se oferece para tomar o lugar de sua irmã mais nova - que não conseguiria sobreviver aos jogos.

Peeta e Katniss deveriam lutar - não só entre si, mas também com os outros tributos - para que só um sobrevivesse, mas durante os eventos do jogo, vemos que algumas regras são mudadas e eles acabam se conhecendo de forma mais profunda e resolvem se ajudar para sobreviverem.

O casal do distrito 12 ganah os jogos, o que aos olhos da Capital é visto como um sinal de rebelião, e o presidente Snow se revolta enquantouma guerra começa a ser declarada. As pessoas nos distritos e na Capital começam a ver Katniss como a líder da revolução, o tordo.

No livro vemos um governo opressor que pouco se importa com o fato de transformarem crianças em assassinos. Vemos uma desigualdade social gritante, não só entre a capital e os distritos, como também entre cada um dos distritos, onde os com melhores condições tem crianças que treinam a vida toda torcendo para participarem dos Jogos, enquanto nos distritos mais simples as pessoas sofrem e o fazem por falta de opção.



[Resenha] Souless - T. M. Frazier

Título: Souless
Série: King
Autora: T. M. Frazier
Páginas: 227
Editora: Independent
Lançamento: 2016
Nota: 5/5
Skoob
O final do amor épico de Bear e Thia.
"A outra boa notícia era que eu tinha certeza que haveria muitas mais razões sobre muitas mais ocasiões para Ti ficar chateada comigo no futuro."

Vamos começar dizendo que sim, a sinopse é só essa mesmo.

Nos dois primeiros livro da série King conhecemos um pouco mais de King e Doe/Ray, agora nos livros três e quatro está na hora de conhecermos a história de amor de Bear e Thia, a história é dividida com um foco maior nos casais, com a história interligada, é possível ler a história de Bear e Thia sem ter lido os dois primeiros livros, mas algumas coisas vão parecer meio confusas, então leia tudo, você não vai se arrepender.

No livro anterior conhecemos um pouco mais sobre a história de como Bear e Thia se conheceram, como tudo isso começou com uma promessa feita a uma crianaça - sem de fato a intenção de cumprí-la em algum momento da vida.

A química entre Bear e Thia é quase palpável, ela salta das páginas toda vez que lemos uma cena dos dois. Eles são um casal pouco convencional. Bear é o cara mau, mas um pouco carente - quando conhecemos mais a fundo sua história dá pra entender - enquanto Thia tem um comportamento pouco convencional para todas as catástrofes que acontecem em sua vida, mas algo que não podemos duvidar é que os dois se amam loucamente.

O final do livro anterior - trecho desse - deixou a leitura naquele nível monstruoso de ansiedade, afinal, nunca sabíamos quando isso ia acontecer e o motivo, afinal, Jake já tinha aparecido nos livros antes, mas ele parecia estar do outro lado da história, mas vai entender a cabeça desses personagens não é mesmo?

A autora procurou em muitos moemntos mostrar a profundidade do relacionamento de Preppy, King e Bear com lembranças sobre o passado dos três, mostrando uma amizade invejável. E Preppy como sempre ali conversando com eles, até mesmo na cabeça de Thia que nem mesmo o conhecia, isso que é não abandonar os amigos.

No decorrer da trama temos muitas revelações sobre o que acontecia no MC, mesmo que aparentemente ninguém soubesse, só Chop, ou melhor, o Prez. Mas a verdade o que deixou todo mundo surpreso foi aquele final, ninguém esperava por aquilo e vamos combinar que foi uma jogada incrível da autora e a gente fica sem saber se ri ou se chora.


Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design