[Resenha] Dreamville - Laura Melo

Título: Dreamville
Autora: Laura Melo
Páginas: 236
Editora: Fragmentos
Lançamento: 2017
Nota: 5/5
Skoob

Anny Blackmoon é uma garota sonhadora de mechas azuis nos cabelos, que ama fotografia e nerdices, mora num pequeno apartamento no edifício Plinceton, tem uma coelha de estimação e trabalha na biblioteca da Cidade Central de Dreamville.
Desde pequena Anny sonha em conhecer o mundo e se aventurar por lugares fantásticos.
Enxerga tudo da maneira mais inspiradora possível e consegue sempre encontrar magia em cada detalhe, desde as fumacinhas das chaminés dos vizinhos até o sininho da porta do café onde sempre toma seu chocolate quente com marshmallow.
Porém, num dia aparentemente comum, ela descobre que vive dentro de um livro, que sua vida inteira foi e está sendo escrita por algum autor (ou autora) doido qualquer e que ela é justamente isso: um personagem fictício.
Ela então precisa, junto com outras personagens bem diferentes dela, o que inclui um caçador de zumbis, um pirata charmoso, uma feiticeira que ama cozinhar e um goblin (ou melhor: um glow, jamais o chame de goblin) viciado em beterrabas, concluir uma missão importantíssima para enfim libertar sua história e poder trilhá-la da maneira que sempre sonhou, alcançando novas perspectivas antes nunca imaginadas.

"É muito triste e talvez até uma ironia do destino, uma pessoa tão desbravadora e mexedora oficial de coisas antigas ter rinite, não é mesmo?"

Logo no início do livro somos apresentados à Anny, uma garotinha que adora mexer em tudo, mas o sótão é especial para ela, afinal, é ali que ela guarda tudo o que encontra e as coisas que são preciosas para ela são guardada em um baú, seus pequenos tesouros, mas ela acredita que sempre tem algo novo ali a ser descoberto por ela, é dessa forma que a protagonista encontra em baixo de um velho sofá uma chave linda com um formato bastante diferente e que ela acredita ser extremamente mágico, guardando a chave em uma corrente no seu pescoço, mesmo usando sempre em um momento ela para de procurar o que essa chave poderia abrir.

Depois temos uma passagem rápida no tempo e vemos Anny agora com 20 anos, morando sozinha em um apartamento, na verdade não completamente sozinha, ela mora com sua coelha de estimação, sua vida não tem nada de especial como as aventuras que ela sempre lê.

Anny trabalha em uma biblioteca, às vezes faz um bico como babá - afinal um dinheiro extra sempre vai bem - vê pouco seus pais, não tem muitos amigos e ama ficar em casa assistindo filmes e séries, lendo livros e comendo, vamos concordar que muitos leitores provavelmente se identificaram bastante com essa parte.

Depois de estar totalmente acostumada com uma rotina é normal pensar que ela não vai mudar, e muito menos da forma como a de Anny mudou. Era um domingo como qualquer outro, ao menos assim pensava a garota, até que um convite para a inauguração de um café apareceu em baixo de sua porta, como não tinha planos apra fazer nada Anny decidiu que iria, mas algumas horas antes do evento recebeu uma ligação de sua chefe pedindo que ela recebesse um pacote com livros que eram extremamente importantes para a biblioteca, Anny foi à biblioteca e acabou dormindo, perdendo a chegada dos entregadores.

Já havia feito o que sua chefe tinha pedido - receber o pacote - quando ouviu um barulho vindo da estante 25A, Anny foi ver o que era aquilo, quando chegou ao corredor viu livros voando e um portal se abrindo diante de seus olhos, mal sabia ela que ali começaria a sua própria aventura.

Vemos então um mundo completamente diferente, que foge de tudo o que Anny conhecia, mas no fundo é tudo aquilo que ela esperava para viver uma aventura, mesmo que no início ela tenha ficado confusa, primeiro ouviu quatro vozes - daqueles que viriam se tornar seus amigos e companheiros de viagem - e depois magicamente ela estava em cima do telhado - pois é, ela também não sabe como isso aconteceu - e é nessa chaminé que ela fica conhecendo Bruce, Will, Genevra e Tiphy, com a chegada da quinta integrante finalmente o grupo está completo para começar a sua aventura.

Eles foram escolhisdos para uma missão onde outros grupos já fracassaram, eles precisam encontrar o baú de histórias e libertar os diários dos personagens para que assim cada um possa ser 'dono' de sua própria história, e não mais só um personagem que tem a sua vida controlada por um autor - ou autora - maluco.

Vemos que a cada lugar que passam eles encontram os mais diferentes tipos de personagens, ursos que usam chapéus, frutas que cantam, dinossauros, sombras que parecem sem esperança, pedras que reclamam e muitas outras coisas - dessas que só parecem fazer sentido na cabeça dos autores mesmo - assim como os personagens, as cidades por onde passam tem as suas próprias culturas, mas todos estão dispostos a ajudar os aventureiros que chegaram mais longe nessa missão.

De uma forma geral, vamos admitir, não tem como não deixar se envolver pela história e as páginas interativas não tem nem o que falar, é impossível não se encantar por elas. Mas vamos combinar, depois desse livro é impossível não querer que a nossa vida tambés esteja sendo escrita, também queremos a nossa próproa aventura como a da Anny.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design