[Resenha] Tyrant - T. M. Frazier

Título: Tyrant
Série: King
Autora: T. M. Frazier
Páginas: 277
Editora: Kindle Edition
Lançamento: 2015
Nota: 4/5
Skoob
Eu. Lembro. De. Tudo.
Só que agora eu queria não lembrar.
Quando o nevoeiro é desfeito da minha mente como fumaça através de um vácuo, a verdade que tem estado além do meu alcance por meses finalmente se revela.
Mas o alívio que eu pensei que eu iria sentir nunca vem, e eu tenho mais medo agora do que tive na manhã em que acordei algemada na cama de King.
Porque com a verdade vêm os segredos obscuros que eu não deveria saber.
Vou colocar as vidas daqueles que eu mais amo em risco se eu deixar que minha memória volte, ou se eu procurar a ajuda do criminoso tatuado que me detém de corpo e alma.
Eu não sei se eu sou forte o suficiente para resistir à atração magnética com King que fica mais forte a cada dia.
Ele já me salvou em mais maneiras do que uma. Agora é a minha vez de fazer o que for preciso para o salvar.
Mesmo que isso signifique me casar com outra pessoa...
"O quarto girou em torno de mim, os livros na prateleira misturados em uma linha."

Nesse livro temos um foco muito maior em Doe e toda a sua história, depois do final do livro anterior vemos que as coisas não aconteceram bem como King esperavam afinal, ele só queria ter a sua filha ao seu lado.

Mas as coisas se complicam, por mais que Doe tenha nascido em uma família que poderia lhe dar tudo o que o dinheiro pode comprar, aquele ambiente nunca foi de fato como uma família, não nas primeiras lembranças que ela tem, tudo que ela encontra é um pai e uma mãe distantes, que não parecem se importar muito com a filha, com isso ela faz de seus amigos sua família.

Vemos que a relação de Doe com Nikki é muito mais intensa, que não é exatamente por acaso que as duas estavam juntas ou que Nikki havia falado para ela procurar a proteção de um motoqueiro, elas de fato precisavam daquilo, Doe só não sabia o motivo.

A vida de Doe, mesmo que ela não se lembre, tem alguns pontos bons e que lhe emocionam a cada momento, como o pequeno Samuel, filho que ela teve aos quinze anos, mas que não se lembrava, e assim que o viu, seu coração lhe lembrou disso - mesmo que sua mente aidna não o reconhecesse.

O melhor amigo - ou antigo melhor amigo - se mostra uma pessoa tão perturbada que dá medo, é estranho ver como as pessoas não conseguem ver por trás da máscara dele, afinal, ninguém é daquela forma o tempo todo.

Mas é um livro onde encontramos muito mais mortes, violência, sexo e alguns momentos de provocação, mas de uma forma que não é exagerada, a leitura é rápida e gostosa, com momentos em que é impossível largar o livro sem saber o que acontece em seguida.

O que dizer do final desse livro, são tantas emoções para o final que é impossível largar antes de chegar na última página, mas vale muito a pena, e vemos que algumas pessoas, mesmo tnão estando presentes sempre irão fazer parte da vida de King e Doe.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design