[Resenha] A Esperança - Suzanne Collins

Título: A Esperança
Série: Jogos Vorazes
Autora: Suzanne Collins
Páginas: 424
Editora: Rocco Jovens Leitores
Lançamento: 2011
Nota: 3/5
Skoob
O volume final da trilogia 'Jogos Vorazes', de Suzanne Collins, é exatamente o livro pelo qual os fãs esperavam: complexo, imaginativo e, ao mesmo tempo, brutal e humano.
Depois de sobreviver aos jogos por duas vezes, Katniss Everdeen tentará se encontrar no papel de símbolo de uma revolução, enquanto luta para proteger sua mãe e sua irmã no meio de uma guerra.
A série, com mais de quatro milhões de exemplares vendidos apenas nos Estados Unidos, é o mais novo fenômeno da literatura jovem dos últimos tempos, e mistura ficção científica com reality show, passando pela mitologia e pela filosofia com muita ação e aventura.
Katniss conseguiu sair da arena pela segunda vez, mas, mesmo assim, ainda não está a salvo. A Capital está irritada e quer vingança e, por isso, inicia uma represália a toda a população.
Numa trama tão violenta quanto psicológica, Suzanne Collins consegue provocar, em A Esperança, um debate sobre a moral e os valores da guerra e as consequências das escolhas feitas por cada um dos personagens.
Ser o símbolo da revolução tem um preço alto para Katniss, que terá que decidir o quanto da sua própria humanidade e sanidade ela poderá arriscar em nome da causa, dos seus amigos e da sua família.
É pela voz da protagonista, ainda mais feroz e obstinada, que a autora desafia o leitor a refletir em meio a cenas cruéis de combate. Tudo isso numa narrativa brilhante, com viradas surpreendentes que levam a um desfecho chocante e original.
Ambientado num futuro sombrio, a saga 'Jogos Vorazes' é pioneira de uma tendência que ganhou força no mercado de bestsellers juvenis: a dos romances distópicos e pós-apocalípticos.
As obras renderam à autora Suzanne Collins lugar na badalada lista de 100 personalidades mais influentes do ano da revista Time em 2010. Com narrativa ágil e ousada, os livros da trilogia foram traduzidos para 44 países e vêm atraindo leitores de diversas faixas etárias.
"Eu não sinto mais qualquer fidelidade a estes monstros chamados seres humanos."

Talvez esse seja o mais cansativo dos três livros, mas isso não quer dizer que ele é ruim, só se torna um tanto chato no decorrer das páginas, Katniss se mostra muito repetitiva nesse livro ao lhe dar com seus próprios conflitos.

Vemos o momento em que todos os personagens precisam começar a assumir as consequência de suas escolhas, e que Katniss precisa ver que depois de tudo o que passaram, sua irmã não é mais aquela garotinha boba que foi sorteada para os Jogos Vorazes e que não sabia o que fazer e morreria no primeiro momento na arena se a irmã mais velha não tivesse assumido seu lugar.

Katniss ainda está um pouco confusa com o que aconteceu no final dos Jogos anteriores, ou melhor, com o que aconteceu no meio dos jogos, já que muitos ainda estavam vivos no moemnto em que eles terminaram com as coisas e mais uma vez enfureceram a Capital e o presidente Snow.

Diferente do que acontece na maioria dos livros, vemos que Katniss não é aquela protagonista perfeita que independente do que aconteça nada a afeta e ela está sorrindo, muito pelo contrário, vemos seus pontos fortes e fracos e mesmo em momentos de dúvida ela não foge das responsabilidades, mas ainda sim muitos momentos fazem com que tenha uma leitura cansativa pela repetição da ladainha. Ela está tão confusa com tudo o que está acontecendo que não tem sanidade para definir o que vai acontecer com o seu dilema amoroso e não consegue escolher entre Gale e Peeta.

Temos um novo grupo, disposto a usar a imagem de Katniss para ser alguém que irá inspirar as pessoas, que por vezes saem com o intuito de fazer uma 'propaganda' para a rebelião, mas esquecem que o ambiente que eles estão procurando está mais para uma guerra.

Temos algumas mortes que são extremamente bobas e as pessoas poderiam ter se salvado por pequenas coisa, vemos que mesmo com intenções que parecem ser boas, temos muitos personagens que não medem esforços para conseguirem o que querem, e ao emsmo tempo, vemos mortes bobas para persoangens bastante espertos que não deveriam ter terminado daquela forma.

De uma forma geral o livro é bom, é importante para ver um final depois de tudo o que aconteceu, não é o melhor da série, mas é importante para terminar a trilogia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design