[Resenha] O Último Olimpiano - Rick Riordan

Título: O Último Olimpiano
Série: Percy Jackson e os Olimpianos
Autor: Rick Riordan
Páginas: 384
Editora: Intrínseca
Lançamento: 2010
Nota: 5/5
Skoob
O aguardado desfecho da série que já ultrapassou a marca de 500 mil exemplares vendidos e é destaque nas principais listas de best-sellers do país.
Os meios-sangues passaram o ano inteiro preparando-se para a batalha contra os titãs, e sabem que as chances de vitória são pequenas.
O exército de Cronos está mais poderoso que nunca, e cada novo deus ou semideus que se une à causa confere mais força ao vingativo Senhor do Tempo. Enquanto os olimpianos se ocupam de conter a fúria do monstro Tifão, Cronos avança em direção à cidade de Nova York, onde o Monte Olimpo está precariamente vigiado.
Agora, apenas Percy Jackson e seu exército de heróis podem detê-lo.
Nesse quinto livro da série, o combate que pode acarretar o fim da civilização ocidental ganha as ruas de Manhattan, e Percy tem a terrível sensação de que sua luta, na verdade, é contra o próprio destino.
Revelada a sinistra profecia acerca do décimo sexto aniversário do herói, ele enfim encontra seu verdadeiro caminho.
"Vou negar que eu te disse, naturalmente, mas os deuses precisam dos heróis."

Nesse livro vemos a batalha para a qual todos ficaram por muito tempo tensos, os semideuses acabaram assumindo a responsabilidade de defenderem a ilha de Manhattan - onde o caos estava maior - e também o mundo.

A grande profecia está perto de se realizar e isso não quer dizer que alguém esteja animado com isso, afinal a ameaça de Chronos está prestes a cair sobre a cabeça de todos - tanto deuses como semideuses - e o Olimpo, mesmo que relutante em dizer com todas as palavras nunca precisou tanto de seus heróis.

Os deuses estão ocupados lutando contra o pai de todos os monstros e não conseguem parar para se preocupar com a luta inevitável com Chronos, o que leva os nossos heróis a esse ponto, mas Chronos é manipulador, sabe bem o que quer, e está no corpo de uma pessoa que já fi querida pelos protagonistas, será mesmo que eles teriam coragem de matar aquele que um dia já consideraram um grande amigo?

A batalha fica cada vez mais intensa,muitos já desistiram, acreditam que a vitória é impossível, Percy sabe que Chronos está quase recuperado e se isso acontecer ele provavelmente vai morrer - como dito na profecia - mas prefere acreditar que se vai morrer mesmo, ele vai morrer lutando.

No início do livro já presenciamos uma morte e a coisa não tende a ficar mais smples depois, afinal, estamos no meio de uma batalha e algumas perdas são inevitáveis, o livro mantém o clima frenético, então não espere que vai terminar um capítulo e ter um momento de calmaria para recuperar ou absorver melhor o que aconteceu, isso não vai acontecer, não antes da última página pelo menos.

No final o autor ainda procurou deixar um desfecho que deixa aos leitorea a esperança de encontrar esses mesmos personagens em novas histórias. É fácil ver como Percy, Annabeth e Grover amadureceram, o fim de Luke, que mesmo previsível agradou, afinal, ele fez por merecer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design