[Resenha] Não se Enrola, Não - Isabela Freitas

Título: Não se Enrola, Não
Série: Não se Apega, Não
Autora: Isabela Freitas
Páginas: 224
Editora: Intrínseca
Lançamento: 2016
Nota: 2/5
Skoob
A vida de Isabela dá uma completa reviravolta depois do sucesso de seu blog, Garota em Preto e Branco.
Decidida a perseguir seus sonhos, ela abandona o curso de direito, deixa a casa dos pais, em Juiz de Fora (MG), e se muda para São Paulo tão logo conquista um emprego numa badalada revista on-line. Enquanto se adapta aos novos tempos numa quitinete no Baixo Augusta, Isabela escreve seu primeiro livro.
Seria perfeito se no apartamento em frente não morasse o envolvente Pedro Miller e os dois não se embolassem regularmente sob o mesmo lençol. Não, não é namoro. Não, não é apenas amizade. É algo muito mais enrolado, um relacionamento sem um nome definido. Um “isso”, como diz a personagem.
Embora não tenha coragem de confessar seus sentimentos, Isabela sabe que está perdidamente apaixonada pelo seu melhor amigo.
Após Não se Apega, Não e a sequência, Não se Iluda, Não, Isabela Freitas mostra neste Não se Enrola, Não os primeiros passos de seus personagens na vida adulta, com toda a independência e as responsabilidades que ela proporciona.
"Mas, ainda assim, sou fofa quando tenho que ser - o que ajuda muito, porque nos dias de hoje não precisamos ser fofas o tempo todo."

Já no início do livro é possível perceber que Isabela está cada vez mais enrolada, ela está apaixonada pelo seu melhor amigo - com quem tem uma amizade colorida - mas não sabe se os sentimento dele são recíprocos.

Nesse livro podemos ver que a autora se perde ao explicar a história, caindo naqueles clichês bobos que já vimos muitas vezes, e vamos combinar que por mais que você seja inocente e infantil, ninguém tem os comortamentos citados nos livros - não aos 24 anos pelo menos.

Isabela agora está morando sozinha em São Paulo, arrumou um emprego em uma editora bem conhecida, largou a faculdade e está focada no lançamento de seu primeiro livro que também é bastante explorado e podemos ver que as emoções dela estão à flor da pele.

Vemos tudo o que a Isabela enfrentou para realizar o seu sonho de se tornar uma escritora, mas suas confusões - apesar de muitas vezes compreensíveis - são pontos bem chatos do livro. Vemos muito da sua indecisão quando ela percebe o que sente, mas não consegue colocar em palavras tudo o que quer dizer para o Pedro, afinal, e se isso estragar a amizade? Uma amizade colorida não quer dizer um sinônimo de exclusividade.

Mas no geral acho que esse foi o mais fraco dos três livros, onde a autora mais enrolou para criar páginas e tentar criar algo que prendesse a atenção do leitor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design