[Resenha] Scarlet - Marissa Meyer

Título: Scarlet
Série: Crônicas Lunares
Autora: Marissa Meyer
Páginas: 480
Editora: Rocco Jovens Leitores
Lançamento: 2014
Nota: 4/5

Skoob
Depois de Cinder, estreia de sucesso de Marissa Meyer e primeiro volume da série As Crônicas Lunares, que chegou ao concorrido ranking dos mais vendidos do The New York Times, a autora está de volta com mais um conto de fadas futurista.
Scarlet, segundo livro da saga, é inspirado em Chapeuzinho Vermelho e mostra o encontro da heroína ciborgue que dá nome ao romance anterior com uma jovem ruiva que está em busca da avó desaparecida.
Em uma trama recheada de ação e aventura, com um toque de sensualidade e ficção científica, Marissa Meyer prende a atenção dos leitores e os deixa ansiosos pelos próximos volumes da série.
"Depois de um tempo, colocou o capuz na cabeça, o que limitava sua visão, ma se sentia mais protegida contra as coisas que roçavam e cutucavam."

Depois de ficar competamente envolvida pela história contada em Cinder, não demorou muito tempo para que eu começasse a ler Scarlet, mas acho que a história demorou a engatar e fica interessante, o início foi bem chatinho e demorou bastante para a história ficar envolvente e ter curiosidade sobre o que acontece nos capítulos seguintes.

No segundo livro temos uma releitura e versão futurística da história da Chapeuzinho Vermelho. Scarlet e uma fazendeira no mora no interior e por vezes está na cidade a fim de vender os almentos produzidos na fazenda, mas a protagonista está completamente perdida já que sua avó desapareceu a duas semanas e as autoridades encerraram as buscas por falta de evidências. O desespero da protagonista é tanto que ela aceita a ajuda de um lutador de rua apelidado de 'lobo'.

As protagonistas são bem diferentes, enquanto Cinder é determinada e sabe esperar para não agir por impulso e acabar se atrapalhando com as consequências disso, Scarlet só pensa em salvar a avó e age sem pensar, aquele tipo de protagonista que se acha melhor que todo mundo e que nada nunca vai acontecer com ela.

Mas no meio do livro simplesmente parece que a autora quis mudar tudo, o que foi muito bom, já que de um livro que estava sendo chato ele virou um do qual eu não conseguia desgrudar mais. Alguns dos novos personagens se mostraram necessários na trama, ao menos para quebrar toda aquela ideia de que estão ferrados, que o mundo está contra eles, afinal Thorne está ali pra nos mostrar que todo mundo tem lados bons e ruins, ele é o clássico personagem que não está ali pra ser o mocinho nem o vilão - é o tipo de personagem mais próxmo da realidade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design