[Resenha] Reis e Príncipes Pálidos - Cassandra Clare e Robin Wasserman

Título: Reis e Príncipes Pálidos
Série: Contos da Academia dos Caçadores de Sombras
Autores: Cassandra Clare e Robin Wasserman
Páginas: 96
Editora: Margaret K. McElderry Books
Lançamento: 2015
Nota: 5/5
Skoob
Como um ex-vampiro, Simon sempre foi solidário com seres do Submundo. A Clave, não.
Mas depois que uma aula dá errado, ele tem um vislumbre do preconceito dos Caçadores de Sombras enquanto aprende sobre a origem de Helen e Mark Blackthorn, personagens principais de Os Artifícios das Trevas.
"Sentiu falta de tudo mais do que esperava, e não apenas dos seus novos amigos, mas da Academia dos Caçadores de Sombras em si, os ritmos previsíveis do dia, todas as coisas de que ele passou meses reclamando."

Mais uma vez vamos para um livro que não foi lançado no Brasil, o que nos obriga a usar a capa e editora da versão americana.

O livro já começa com Simon tentando escreve sobre como foi o seu verão e percebemos que o que mais incomoda Simon, talvez, seja o fato de estar mentindo para todas as pessoas com quem se importa. O que o leva a passar bastante tempo com Clary - e que não é estranho pra ninguém, exceto pra ele - mas quanto mais conversam, ele descobre que está longe de ser o Simon antigo, assim como Clary também mudou com toda essa experiência deles com seres do Submundo.

Vemos também que Simon vê além das criaturas do Submundo - talvez por já ter sido uma -, mas ele não acredita que você deve julgar um povo todo pelas escolhas de alguns, claro, mas assim como nem todos os Caçadores de Sombras são bons, nem todos os seres do Submundo são necessariamente ruins.

Em contra-partida vemos que os Caçadores de Sombras continuam se achando superiores, e por mais que Helen Blackthorn não tenha feito nada de errado, ela é punida pelas ações de sua mãe e por ter sangue de fada, afinal, para eles, ou você tem sangue de Cçador puro, ou nunca vai ser bom o suficiente e a sua outra parte sempre vai ser o pior que poderão pensar de você.

Vemos Simon e Isabelle tentando ter um bom encontro, já que eles parentemente andam fracassando em todas as tentativas, Simon percebe que se ele parar de se cobrar e planejar tanto, talvez seja mais fácil já que quando as coisas acontecem de forma natural, elas tendem a dar certo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design