[Resenha] Cress - Marissa Meyer


Título: Cress
Série: Crônicas Lunares
Autora: Marissa Meyer
Páginas: 496
Editora: Rocco Jovens Leitores
Lançamento: 2015
Nota: 4/5
Skoob
Neste terceiro livro da série Crônicas Lunares, Cinder e o capitão Thorne estão foragidos e agora levam Scarlet e Lobo a reboque. Juntos, eles planejam derrubar a rainha Levana e seu exército.
Cress talvez possa ajudá-los. A garota vive aprisionada em um satélite desde a infância, com a companhia apenas de telas, o que fez dela uma excelente hacker. Coincidência ou não, infelizmente ela também acabou de receber ordens de Levana para rastrear Cinder e seu bonito cúmplice. Quando um ousado plano de resgatar Cress dá errado, o grupo se separa. Cress enfim conquista a liberdade, mas o preço a se pagar é alto. Enquanto isso, Levana não vai deixar que nada impeça seu casamento com o imperador Kai.
Cress, Scarlet e Cinder talvez não tenham a intenção de salvar o mundo, mas muito possivelmente são a última esperança do planeta.
"Assim Cress ignorou a nave e cantarolou baixinho enquanto limpava todas as marquinhas na holografia, até só restar a identificação da Rampion: um único ponto amarelo, desproporcional  na holografia para que Cress pudesse analisá-lo no contexto do planeta abaixo."

Nesse novo livro conhecemos uma nova protagonista, a jovem Cress - que teve sua história inspirada na da Rapunzel. Cress é uma lunar, porém é uma cascuda, por ter incríveis habilidades como hacker, ela foi mantida como prisioneira por anos em um satélite na órbita da Terra, tendo assim acesso a rede terráquea, de onde transferia informações para Luna.

Quando Cinder, Scarlet, Lobo e Thorne resolvem resgatar Cress no satélite, tudo dá errado, alguns escapam enquanto outros são feitos de refém, a maior parte do livro se passa a partir daí, enquanto o grupo está dividido, pensando no que devem fazer para conseguir se reunir de novo. E talvez seja uma das partes mais fracas do livro, onde enrolaram bastante para que alguns personagens se reencontrassem.

Mas com o reencontro, também temos a criação de um plano para impedir o casamento real entre Levana e Kai, evitando assim que a rainha de Luna se torne também imperatriz da Comunidade das Nações Orientais. É nesse ponto que a ação de fato começa e o leitor se vê cada vez mais envolvido querendo saber o que vai acontecer com o grupo - quase completo - reunido de volta e se o plano bolado por eles vai dar certo ou mais uma vez eles vão falhar? Afinal, eles falharam em um que era bem mais simples.

Esse é o tipo de livro que começa chato e talvez faça você repensar várias vezes sobre a leitura, mas aos poucos ele vai ficando interessante, te mostrando que tem uma história boa por trás de tudo e que as ações dos personagens são justificáveis, mesmo aquelas que parecem serem impossíveis de ententer.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design