Resenha | Sussurros do País das Maravilhas (Splintered #1.5, #3.5) de A. G. Howard

Alyssa Gardner entrou na toca do coelho para assumir o controle do seu destino. Ela sobreviveu à batalha pelo País das Maravilhas e pelo seu coração.

No conto O Menino na Teia, a mãe de Alyssa relembra o período em que viveu no País das Maravilhas e resgatou o homem que se tornaria seu marido e pai de sua filha.

No A Mariposa no Espelho, conhecemos as lembranças de Morfeu, de quando ele mergulhou nas memórias de Jeb para descobrir os segredos dele e tentar ganhar, de uma vez por todas, o disputado coração de Alyssa.

No Seis Coisas Impossíveis, Alyssa revive os momentos mais preciosos de sua vida após Qualquer outro lugar, e sobre o papel mágico que desempenhou para preservar a felicidade daqueles que ela ama.

Neste livro você encontrará três contos de lembranças inéditas e inesquecíveis. Junte-se novamente aos personagens da série O Lado mais Sombrio e embarque no fantástico mundo do País das Maravilhas.

 Série Splintered | Fantasia | 272 páginas | Ano 2017 | Novo Conceito | Skoob 
Lido em 1 dia | Avaliação 3 estrelas
 
 
"Vi vislumbres de você olhando para trás para ter certeza de que eu não caí. Seus olhos eram da cor da liberdade. Ou do meu futuro. Eles eram tão cheios de dor, de determinação. E de força."
O livro é composto de três contos, dois inéditos e um já conhecido que já até foi resenhado aqui no blog que é o A Mariposa no Espelho. Antes de começar a falar do livro em si, já fique avisado, essa resenha tem spoilers da série, então se não leu e não quer spoilers fuja por enquanto e volte depois.
"Você e eu fomos destinados a fazer parte do país das Maravilhas. Não importa os caminhos que escolhemos. Fomos pegos naquela teia assim que nascemos. O que significa que era inevitável que nossa filha tivesse o mesmo destino e que o papel dela fosse maior que o nosso."
O primeiro conto do livro é onde conhecemos um pouco mais sobre como foi a vida de Alisson antes dela se envolver com Morfeu e um pouco do passado de Thomas antes de cair na teia da Irmã Dois. Esse conto nos mostra um pouco mais sobre a família de Alyssa como um todo, e que todas as complicações que ela viu no decorrer de sua vida, tem muito mais coisas envolvidas. Nem tudo é tão simples como parece.
"Não importa se sou louca, desde que minha loucura me ajude a sobreviver."
Podemos ver que Alyssa voltou para a sua vida normal, ou ao menos para a vida fora do país das maravilhas, e Morfeu está em busca de algo que possa ajudá-lo a reconquistar a protagonista, por esse motivo ele resolve conhecer um pouco melhor o seu 'inimigo' Jebediah para descobrir seus pontos fracos e conhecer seus mais profundos medos.

Jeb não é o tipo de personagem que cativou muitos leitores, na verdade ele é o que fez o livro ser chato pra muita gente, vejo nesse conto uma forma da autora de tentar mostrar como o amor dele por Alyssa é grande, a fim de conquistar fãs para o personagem, mas ainda sim não convenceu.
"- Você sempre soube – digo, acariciando seu rosto. – Você sabia que as coisas acabariam assim.
– Claro que sim. Mágica não é uma coisa esplêndida?"
Talvez o último conto seja o mais marcante dos três, que é onde vemos de fato um pouco da vida de Alyssa depois de tudo o que aconteceu nos três livros da série. Depois do terceiro livro como a maioria dos leitores eu fiquei imaginando como foi a vida de Alyssa e Jeb depois de tudo o que eles viveram ali no país das maravilhas.

Alyssa e Jeb casaram, tiveram filhos, e uma família feliz, e viveram tudo o que uma pessoa pode desejar, até o momento em que Jeb deu seu último suspiro, não demorou muito mais para que Alyssa voltasse ao país das maravilhas, afinal, esse havia sido o acordo e ela sabia que ela deveria voltar e assumir o seu lugar como rainha e passar a eternidade ao lado de Morfeu.
"A cena se estendeu e ficou turva enquanto Morfeu era arrastado para fora das lembranças de Jebediah e depositado de volta na chaise-longue. A escuridão deixava a sala pesada, mas ele nem se mexeu para ligar a luminária. O cenário completamente enegrecido parecia combinar com os pensamentos obscuros que lhe cruzavam a mente."
O livro segue com o mesmo trabalho de diagramação incrível que a Novo Conceito aplicou para todos os outros livros, uma capa maravilhosa que já te ganha aí.
"Ela poderia facilmente usar seus poderes para se libertar. Mas aí é que está. Não quer se livrar dele. Nunca quis. Ele é seu parceiro humano, em todos os sentidos. Ela e eu conversamos sobre o que significa a imortalidade... sobre como vai ser difícil quando ele tiver morrido e ela continuar viva."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design