[Resenha] Mil Mágicas - Diana Wynne Jones

Título: Mil Mágicas
Série: Os Mundos de Crestomanci
Autora: Diana Wynne Jones
Páginas: 168
Editora: Geração Editorial
Lançamento: 2008
Nota: 3/5

Skoob
O mundo de Crestomanci é vizinho ao nosso. No sentido mais literário de que a diferença entre os dois lugares é a magia. Neste ambiente, feiticeiros, bruxas, taumaturgos, bruxos, faquires, mágicos, mandingueiros, magos, xamãs adivinhos e muitos outros, até a mais humilde bruxa, praticam a magia, muitas vezes sem controle. Por isso, o importante papel do mago mais forte que não deixa ninguém usar os poderes de forma incorreta. O personagem forte que organiza este mundo encantando é o onipotente “Crestomanci”. É para ler e se divertir com os contos, entre eles o do Feiticeiro Feliz que era apaixonado por carros e cometia várias loucuras. O azarado de nascença perdeu a magia porque aprontava muito e entrou para a vida do crime acreditando que seria a única saída, mas isto até passar por muitos apertos, como a fuga de um policial.
"Eu estava entrando no banco para ajudar você, Feiticeiro, e você vai e rouba o meu carro!"

No decorrer dos livros da série é fácil perceber que Crestomanci é responsável por cuidar da magia de vários mundos, afinal, o uso descontrolado dela pode trazer muitos problemas. Nesse quinto livro da sére, nos deparamos com algumas histórias que nos fazem ver que mesmo o mais poderoso bruxo, possui alguns aliados para ajudá-lo a controlar o uso da magia.

No primeiro conto conhecemos o Feiticeiro Feliz, que apesar desse nome não passa de um grande azarado que teve seus poderes retirados por Crestomanci, enquanto ugia da polícia em seu mundo, o Feiticeiro viu a oportunidade de ser mandado para outro mundo onde além de conseguir fugir, ele ainda recuperaria seus poderes, ele realemnte viu uma vantagem nisso e não pensou duas vezes antes de aceitar a oferta, mas nem tudo foi da forma como ele esperava, e se viu preso em uma situação que não gostaria, tudo por ter agido de forma impulsiva.

O conto seguinte vemos como personagens principais do conto, os já conhecidos Eric Gato Chant - que aparece em Vida Encantada - e Tonino Montana - que aparecem em Os Magos de Caprona -, nesse conto é fácil perceber como Eric está incomodado com a presença do outro menino, já que ele deixou de ser quem detinha a atenção de todos no castelo, que apresenta uma grande má vontade de ajudar Tonino a se adaptar ao castelo de Crestomanci, e isso só piora quando Júlia, Roger e Janet ficam doentes, deixando que o jovem Eric seja a única companhia do italiano por algum tempo.

No terceiro conto ficamos conhecendo Carol, uma menina que vende seonhos, isso mesmo, seu poder está envolvido no fato de que ela sonha o que quiser, até que uma noite isso não acontece, ela simpesmente não sonha nada e parece que ninguém sabe o que está acontecendo com a menina, resta a seus pais poucas opções se não recorrer a Crestomanci e esperar que ele possa ajudar a resulver o problema, que no fim é algo fácil de se resolver.

O último conto do livro percebemos que com a intenção de se protegerem, alguns Deuses - bem organizados - acabera quase se destruindo, afinal, eles sabiam que todas as profecias feitas se cumpriam, mas no momento em que apareceu uma que lhes desagradou ou ameaçou seu reinado eles procuraram dar um jeito de mudá-la, contudo isso não deu certo e a profecia continuaria a se cumprir, para que finalmente aquele mundo pudesse se dividir em dois como todos os outros mundos.

Todos os contos mantém a narrativa através dos olhos das crianças, o que se mostra um ponto bem forte da narrativa da série.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design