[Resenha] Despertada - P. C. Cast e Kristin Cast

Título: Despertada
Série: House of Night
Autoras: P. C. Cast e Kristin Cast
Páginas: 320
Editora: Novo Século
Lançamento: 2011
Nota: 4/5
Skoob
Exonerada pelo Conselho Supremo dos Vampiros e retornando a sua posição de Grande Sacerdotisa da Morada da Noite de Tulsa, Neferet jurou vingança contra Zoey.
Seu domínio sobre Kalona é apenas uma das armas que ela pretende usar. Mas Zoey encontrou um santuário na Ilha de Skye e está sendo protegida pela Rainha Sgiach, que espera que ela possa assumir o reinado. Tornar-se a rainha seria legal, não seria? Por que ela deveria retornar à Tulsa?
Depois de perder Heath, seu consorte humano, Zoey nunca mais será a mesma – e seu relacionamento com o supersexy guerreiro Stark pode também nunca mais ser o mesmo. E Stevie Rae e Rephaim? O Raven Mocker se recusa a ser usado contra Stevie Rae, mas que chances ele tem quando ninguém no mundo, incluindo Zoey, estaria feliz com este relacionamento? Ele deve trair seu pai ou seu coração?
No emocionante oitavo livro da série House of Night até onde irão os vínculos da amizade e quão forte são as amarras que prendem o coração.
"Stark deu uma gargalhada, puxou a adaga da bainha em sua cintura e a entregou para mim."

Vamos ser sinceros, a série é bem enrolada, por vezes extremamente repetitiva e um tanto boba, mas parece que nos últimos livros as autoras descobriram oq ue de fato queriam fazer, já que a história foi ficando mais intrigante, aos poucos os personagens vão mostrando quem eles realemente são e o verdadeiro motivo deles terem aparecido.

No oitavo livro da série é fácil perceber como Neferet está afastada do caminho da Deusa, que ela de fato de sente feliz por ter escolhido as Trevas. Zoey continua se envolvendo nas maiores confusões que parecem se resolver mesmo só com a interferência e cooperação de seus amigos, ou seja, a toda poderosa protagonista não consegue resolver nada em sua vida sozinha.

Zoey finalmente resolveu ficar com uma pessoa só, e parou com toda aquela frescura de ter mais de um namorado ao mesmo tempo - sejamos sinceros, desde o início dava para saber que isso não ia dar certo - e Stark vem se mostrando um cara mais do que suficiente apra apagar o fogo da protagonista, além dele não ficar fazendo cena de ciúme por nada. Sejamos sinceros, ela já poderia ter largado o possessivo Erik e o insuportável Heath desde que o Stark entrou na história com o seu sorriso metidinho.

Stevie Rae continua com o seu dilema por ter se carimbado com o Raven Mocker, mas isso não quer dizer que ela esteja diferente, muito pelo contrário, nesse livro é o que ela mais age como a Stevie Rae antes de morrer e desmorrer, mostrando o quanto ela é uma personagem forte. Em contra-partida Aphrodite quase não apareceu nesse livro e sejamos sinceros, queremos mais Aphrodite em todos os livros.

Nesse livro temos duas mortes que foram marcantes para a protagonista. A primeira morte que tivemos nesse livro, foi do persoangem mais fofo e querido por todos, pela sua inicência e amizade, foi bem sem graça a forma como aconteceu, acho que ele merecia uma morte melhor, já a segunda, é um personagem que até o momento - na série - se mostrou inútil e quase não aparecia, o que não faz com que a sua falta seja sentida, não tanto pelo menos.

Com os acontecimentos desse livro a série parece finalmente estar tomando rumo, enquanto algumas coisas começam a ser explicadas, fazendo desse volume um grande momento para resolver problemas ao invés de deixar algo significativo acontecer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design