Microsoft desenvolve servidores para trabalhar no fundo do oceano



A Microsoft criou uma nova forma de armazenar dados de maneira econômica e autossustentável, no inicio de fevereiro de 2016 divulgaram o primeiro Project Natick, um serie de projetos estudados para descobrir formas de armazenar dados no fundo do mar.

Eles enfrentam como obstáculos  na construção do data centers a refrigeração e manutenção do diapositivo, Seria necessário um sistema complexo e de auto valor para que mantivessem a temperatura ideal nas maquinas.

O fundo do mar é um ambiente de alta refrigeração, manteria a temperatura de forma natural, o que significa uma economia relevante, a Microsoft defende também que o sistema produzirá sua Própria eletricidade utilizando turbinas.  

A empresa Desenvolveu um protótipo do servidor que foi batizado como Leona Philpot, (homenagem a personagem da franquia Halo), o protótipo contem um conjunto de computadores unidos em contêineres comprimidos com nitrogênio, contendo também mais de cem sensores que foram instalados para o monitoramento da unidade, fornecendo informações como a umidade, pressão e diversos maneiras para detectar algum problema. O protótipo foi lançado em agosto de 2015, superando as expectativas esperadas, agora a microsoft ira aprimorar o dispositivo aquático, transformando os servidores em um serviço viável, econômico e autossustentáveis. Se tudo der certo como esperado nossos dados estarão bem guardados no fundo mar.

fonte: PROJECT NATICK


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design