Resenha | Rainha de Copas (Queen of Hearts #1) de Colleen Oakes

Nem todo conto de fadas tem um final feliz. Esta é a história de uma princesa que se tornou vilã...

Como princesa de um palácio no País das Maravilhas e futura Rainha de Copas, os dias de Dinah são uma monotonia sem fim. São muitos chás, tortas e uma série de humilhações causadas pelo Rei de Copas, seu pai. O momento mais esperado de seus dias é quando é visitada por Wardley, seu melhor amigo de infância, o futuro Cavaleiro de Copas – e o amor de sua vida.

Quando a coroação de Dinah se aproxima, uma sequência de eventos sangrentos sugere que algo errado está acontecendo nos extravagantes salões do palácio. A princesa terá de desvendar esses mistérios antes que ela perca a cabeça para um inimigo sagaz e sem rosto.

Personagens conhecidos como o Gato de Cheshire, o Coelho Branco e o Chapeleiro Maluco fazem parte da narrativa que encantará os leitores com uma nova perspectiva do País das Maravilhas, criado por Lewis Carroll.


Série Queen of Hearts | Fantasia | 216 páginas | Ano 2014 | Universo dos Livros | Skoob 
Lido em 1 dia | Avaliação 4 estrelas
 
 
 
"Da janela de seu quarto, Dinah adorava observar as Cartas do clube correndo para cima e para baixo nas espirais, como pequenas aranhas vestidas de cinza, segurando seus livros e instrumentos de tortura. A Princesa nunca teve permissão para entrar nas Torres Negras, é claro, mas ela planejava fazer um tour por elas com o seu melhor amigo, Wardley. Mas, para isso, ela provavelmente teria que esperar para se tornar rainha."

Sejamos sinceros, é impossível ouvir falar da Rainha de Copas e não pensar naquele personagem desagradável tão conhecido, mas um fato nunca abordado foi o que levou ela a ser daquela forma, afinal, muitas vezes vemos as histórias procurando deixar bem claro que nem todos nascem maus, o mundo os obriga a ficar assim.

Confesso que a personagem tão já conhecida da Rainha de Copas está longe de ser uma das minhas favoritas, mas a curiosidade me ganhou e fez ler esse livro o que foi uma surpresa maravilhosa, já que o livro é incrível e foi o oposto do que eu imaginava.

"O tremer dos cascos diminuiu conforme eles se aproximavam e, então, pararam. Relutante, Dinah olhou para cima, esperando ver o reflexo brilhante de uma espada de Copas, mas, ao invés disso, Morte estava parado ao seu lado, sua cabeça abaixada de modo que Dinah pudesse olhar diretamente em seus olhos negros."

Dinah cresceu sem o afeto de seu pai, em grande parte ela foi cuidada pelos empregados do castelo e muitas vezes por seu tutor que não a deixava chegar atrasada em seus compromissos. Os dias da princesa eram cheios de chás, aulas para aprender outras línguas, jogos de críquete e por aí vai, mas para ela, a melhor parte do dia é quando conseguia fugir dessas obrigações ter um tempo na companhia do seu melhor amigo.

"Ela perdeu a fala. Ela não era só dez vezes maior que a sua coroa, mas também era dez vezes maior que a coroa de seu pai. Nada assim havia sido feito antes no País das Maravilhas, nunca. Era a coroa mais impressionante que ela já havia visto, uma combinação verdadeira de arte e habilidade. Ela resplandecia na luz do sol."

As coisas mudam depois de uma revelação do rei. Coisas estranhas começam a acontecer pelo castelo e enquanto procura por respostas a princesa começa a viver algumas aventuras, o que leva a princesa a um dos piores lugares do reino, um lugar onde princesas não deveriam estar, mas um dos poucos onde ela pode descobrir o que está acontecendo e talvez descobrir uma forma de proteger a sua coroa.

"– A guerra é sanguinária e brutal, algo que pode rasgar o coração de um homem. A guerra pode fazer um homem questionar tudo o que ele acredita, toda verdade a que ele se apega. O País das Maravilhas nunca viu uma guerra, então, permitam-me confessar que a guerra pode tornar um homem… solitário."

A história é narrada em terceira pessoa, fala da vida de Dinah - até o momento a Princesa de Copas - a menina viu a sua família se desfazer e ruir quando sua mãe morreu e seu irmão enlouqueceu. Desde então Dinah se esforça para ter a atenção de seu pai, mostrar para ele que é boa, que merece ser amada, mas cada vez mais ela só ganha desprezo.

"Ela pulou para o lado da banheira. Emily estava enchendo-a a partir de um longo pescoço de cisne que saía do teto e jorrava água para a enorme banheira preta. Grandes bolhas cremosas do tamanho de melões saíam da banheira. Dinah suspirou infeliz."

É fácil perceber que a autora teve uma enorme sensibilidade para criar uma história de uma época desconhecida da vida de ma personagem que a maioria das pessoas já conhecem, a trama explica muitos pontos da personalidade da personagem e deixa no ar muitos ganchos para nos mostrar como a princesa se tornou uma vilã.

"Enquanto ela levantava suas mãos para colocar a coroa vermelha de volta em sua cabeça, sentiu a primeira sensação de reconhecimento de dever. Ser a Rainha significava proteger seus súditos, mesmo que fossem de práticas da própria Família Real. As Torres eram o segredo terrível do País das Maravilhas, uma monstruosidade para todo o reino ver e nunca compreender."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design