[Resenha] O Reino das Vozes que Não se Calam - Carolina Munhóz e Sophia Abrahão

Título: O Reino das Vozes que Não se Calam
Série: O Reino das Vozes que Não se Calam
Autoras: Carolina Munhóz e Sophia Abrahão
Páginas: 285
Editora: Fantástica Rocco
Lançamento: 2014
Nota: 4/5
Skoob
Se você encontrasse um lugar onde todos o aceitassem... Seria capaz de abandoná-lo?
Sophie se esconde de todos e de si mesma: insegura, não consegue enxergar sua beleza e talento, e sente dificuldade em se relacionar com os outros. Seu dia a dia se perde entre os caminhos tortuosos dos que convivem com a depressão e o bullying, e a jovem aos poucos vai se fechando na escuridão de seus pensamentos.
Desamparada e sem coragem de lidar com seus problemas, ela acaba descobrindo um lugar mágico: um Reino onde as vozes não se calam e as criaturas encantadas se tornam reais. Um local colorido onde ela finalmente poderá se encontrar.
Dividida entre a realidade e a fantasia, Sophie contará com a ajuda preciosa de um rapaz comum e uma guardiã encantada, que lhe mostrarão os segredos da alma e a farão decidir se vale a pena enfrentar seus medos ou viver em um eterno conto de fadas.
"Ao escutar aquilo, a melhor amiga sentiu as palavras perfurando seu espírito e encontrando o coração, que sangrava."

Um ponto delicado do livro é que ele apresenta uma história não convencional, afinal ele apresenta um mundo diferente, não se trata de nenhum mundo já conhecido já adaptado, contudo o livro faz algumas referências a algumas histórias já conhecida, mesmo que seja através de uma citação apresentada de forma bem rápida.

Primeiro ponto a ser visto é a capa do livro que é bastante delicada, com a predominância em tons avermelhados e pretos trazendo ao fundo uma imagem mais clara de uma floresta, a capa do livro apresenta a imagem de uma garota vestida de roupa preta com uma pequena cartola na cabeça, o que representa o visual de um dos ambientes que são apresentados no decorrer da história do livro, o contorno da capa é composto de alguns arabescos o que trazem a ideia de uma moldura para a imagem. É fácil ver como a editora teve um trabalho para diagramar o livro uma vez que na página inicial de cada capítulo é composta de alguns arabescos, assim como a divisão no decorrer do capítulo é feita através da imagem de uma pequena coroa.

O livro conta a história de Sophie, uma garota um tanto fora dos padrões para a sociedade onde vivem, acostumada a ser um pouco excluída na escola, acostumou ao mesmo tempo ser tratada de forma um tanto cruel pelos outros alunos. Ser uma das melhores alunas da escola não significa que os outros vão gostar mais dela, claro que os professores não fazem essa distinção, mas para os alunos isso é bem nítido, e não são só eles que não gostam da garota ruiva, aparentemente a diretora da escola não é a maior fã da menina e sempre dá indiretas aos pais de Sophie para que a levem em médicos, em uma dessas conversas a mãe se vê convencida e a garota começa a frequentar consultas com um psicólogo, sendo posteriormente encaminhada a um psiquiatra e mantendo tratamento com os dois. Uma briga com Anna, a melhor – e única – amiga faz com que Sophie se isole cada vez mais, já que os outros alunos pareciam tolerar a presença da garota somente por ser amiga de Anna; porém tudo muda com a chegada de um novo aluno, Léo, que se aproxima cada vez mais da menina ruiva e estranha aos olhos dos demais alunos, mas especial e diferente aos olhos dele; com o tempo também se inicia uma amizade com Mônica, uma garota da sala de Léo, que não é o tipo popular da escola.

Sophie vive em um constante dilema de não ser bem aceita ao mundo humano, onde foi criada, e tem vontade de estar sempre no mundo que ela sente que pertence, em meio a um ambiente em que se sente querida e amada, porém nem tudo é tão fácil por mais que os Tirus se alegrem com a presença da princesa não é somente uma questão de querer que ela esteja ali, ela precisa fazer algumas coisas para ficar com eles para sempre e aprender como reinar junto com sua avó, a Rainha.

A história nos mostra como muitas vezes os dilemas que passamos podem ser muito mais complicados do que imaginamos, que por vezes temos algumas reações que são incompreendidas pelos outros, mostra como quem nos ama de verdade aceita até mesmo as histórias mais diferentes, aparentemente absurdas.

O livro foi escrito de uma forma simples fazendo com que a leitura do livro seja fácil e envolvente, as autoras tiveram uma sutileza enorme e conseguiram passar a ideia desse mundo encantado que tanto imaginaram, é fácil ver o que elas descrevem e imaginar todos os seres mágicos que vivem no reino, assim como seu modo um tanto diferente de ser. O livro termina de uma forma envolvente, com um ponto que pode ser muito bem elaborado em uma sequência e te deixa um tanto curioso para saber o que vai acontecer em seguida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design