Resenha | O Lado Mais Sombrio (Splintered #1) de A. G. Howard

Alyssa Gardner ouve os pensamentos das plantas e animais. Por enquanto ela consegue esconder as alucinações, mas já conhece o seu destino: terminará num sanatório como sua mãe.

A insanidade faz parte da família desde que a sua tataravó, Alice Liddell, falava a Lewis Carroll sobre os seus estranhos sonhos, inspirando-o a escrever o clássico Alice no País das Maravilhas.

Mas talvez ela não seja louca. E talvez as histórias de Carroll não sejam tão fantasiosas quanto possam parecer. Para quebrar a maldição da loucura na família, Alyssa precisa entrar na toca do coelho e consertar alguns erros cometidos no País das Maravilhas, um lugar repleto de seres estranhos com intenções não reveladas.

Alyssa leva consigo o seu amigo da vida real – o superprotetor Jeb –, mas, assim que a jornada começa, ela se vê dividida entre a sensatez deste e a magia perigosa e encantadora de Morfeu, o seu guia no País das Maravilhas. Ninguém é o que parece no País das Maravilhas. Nem mesmo Alyssa.


 Série Splintered | Fantasia | 368 páginas | Ano 2014 | Novo Conceito | Skoob 
Lido em 2 dias | Avaliação 4 estrelas
 
  

"Minha náusea aumenta quando ouço os cravos falando por sobre o zunido dos ruídos de fundo. Eles estão dizendo como é doloroso ser podado nas hastes, reclamando sobre a qualidade da água na qual estão nadando, pedindo para serem recolocados na terra para que possam morrer em paz."

Diferente do que muitos imaginam quando dão aquela rápida leitura na sinopse do livro, esse não vai contar a história de Alice - aquela garota que todo mundo sabe que foi para o país das maravilhas - aqui vemos a história de Alyssa, sua tataraneta. O livro se trata de uma releitura da história escrita por Lewis Carrol.

Alyssa guarda um segredo, que se descoberto poderá a levar a um sanatório assim como fez com sua mãe. Ela pode ouvir insetos e plantas e se quiser conversar com eles, e precisa entrar na toca do coelho indo para o país das maravilhas e consertando algumas coisas que estão bagunçadas lá desde a chegada de sua tataravó Alice.

O livro todo é contado pelo ponto de vista de Alyssa, o que nos leva a descobrir um pouco mais da história de sua tataravó, conhecer um pouco mais sobre os personagens e as decisões tomadas por eles.

"Por tantos anos, as mulheres de nossa família foram tachadas de loucas, sem o serem. Podemos ouvir coisas que outras pessoas não podem. (…) Não somos loucas. Eu deveria estar aliviada. Mas algo mais está acontecendo, algo inacreditável."


A primeira coisa a ser reparada nesse livro é a sua capa, uma imagem completamente linda e mágica, que nos leva ao País das Maravilhas de cara. A capa apresenta uma predominância em tons de verde, apresenta anda a face de uma garota loira de olhos claros, com uma pequena chave pendurada em um colar no seu pescoço, mostrando ao seu redor vários tipos de insetos e flores. O nome do livro vem escrito com uma letra vermelha que contrasta com o fundo verde de uma forma que facilita a leitura sem destacar muito de toda a capa. Outro ponto delicado do livro são as páginas dos livros, todas com as bordas inferiores e as páginas iniciais de cada capítulo que tem um trabalho de raízes e folhas em suas bordas, trazendo uma delicadeza para o livro.

"Coleciono insetos desde os dez anos de idade; foi o único jeito que encontrei de silenciar seus sussurros. Espetar um alfinete em sua barriga os silencia rapidamente."

O livro apresenta um pais das maravilhas com todos os personagens já conhecidos como o coelho branco, a rainha de copas, o chapeleiro maluco, mas ainda sim todos os personagens são bem diferentes daqueles que já conhecemos, apesar de terem os mesmos nomes, vemos que essa é uma releitura completa não só da história de Alice, mas do país das maravilhas como um todo.

"- Você compreende a lógica que está além do ilógico, Alyssa. É sua natureza encontrar tranquilidade em meio à loucura."

Esse livro além de apresentar uma história fascinante, com personagens muito bem construídos tem uma capa maravilhosa e o trabalho de diagramação da editora foi incrível, fazendo com que o leitor já se apaixonasse pelo livro assim que o visse nas livrarias.

"Um mar vermelho de laços de amor, pinte as rosas da mesma cor, em finas pinceladas pelas mãos de um artista guiados."












O livro conta a história de Alyssa, uma garota um tanto diferente das de sua escola, afinal, ela fala com as plantas e os animais, uma maldição de família passada a cada geração desde sua tataravó Alice, aquela menina do País das Maravilhas. Alyssa tem um talento para arte, mas se dedicou a isso quando perceber que era o único modo que aprendeu a silenciar os insetos, evitando assim que ela falasse com eles na frente das pessoas e fosse tida como louca aos olhos dos outros. Sua mãe, está internada em um hospício, porém os medicamentos já não parecem fazer tanto efeito e é necessário partir para um tratamento mais drástico, o que fará com que a mulher mude para sempre quem ela é, Alyssa precisa ir ao País das Maravilhas e consertar os erros de Alice para acabar com a maldição e salvar sua mãe, porém ela precisara passar por muitas provas.

A história nos mostra a vida de Alyssa que acaba indo parar no País das Maravilhas, mas um muito diferente daquele que conhecemos através da história de Lewis Carroll, até mesmo os personagens são bem diferentes do que já vimos. Os personagens são profundos e envolventes, porém mantêm algumas características de sua personalidade muito parecidas com as da história que conhecemos, já na aparência física de cada um deles descrita nos livros são bem diferentes.

Passamos a ver como Morfeu e Jeb possuem pensamentos bem diferentes quanto ao que é melhor para Alyssa, porém tudo é muito confuso e arriscado, a cada novo desafio vemos a história se desenvolver, mostrar onde foram os erros de Alice, muitas vezes dependendo da interpretação de como resolver aquele problema e o medo de fazer algo errado que poderá influenciar na vida da protagonista de uma forma que ela nem imagina.

Descobrimos que a mais simples forma de amor entre duas pessoas pode ser muito confusa quando as pessoas demoram a falar de fato o que sentem, como muitas vezes isso amedronta os personagens que procuram uma forma de resolver os problemas e ser feliz ali.

A escrita de Howard é envolvente e simples de uma forma que te envolve cada vez mais nessa história gostosa e cativante que nos prende da primeira à última página, deixando o gostinho de quero mais nos leitores que ficam aflitos para que a continuação venha logo. Howard consegue nos levar para o País das Maravilhas e podemos ver que muita coisa pode acontecer, se forem feitas as escolhas erradas.

Para os leitores que gostam de fantasia é uma leitura que vale a pena e não deixará que as pessoas se arrependam.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os direitos reservados @2016 - Programação: Algodão Doce Design